Globo exibe filmes nacionais em janeiro

Alvo de reclamações da classe cinematográfica, a Rede Globo começa 2001 procurando fazer as pazes com o setor. Após ser criticada em debates e seminários deste ano por colocar seus artistas e produções (como O Auto da Compadecida) no cinema, mas não garantir espaço aos filmes brasileiros em sua programação, a emissora prepara o Festival Nacional. A partir de 1.º de janeiro, a emissora apresenta sete produções inéditas na televisão - a começar por Zoando na TV, que inaugura a sessão, programada para entrar no ar após a novela das oito, Laços de Família. Com direção de José Alvarenga Jr., Zoando na TV retrata as aventuras da apresentadora Angélica após ser sugada para dentro do televisor. Enquanto pula de programa em programa à procura do namorado (Márcio Garcia), desfilam outros globais pela tela, como Miguel Falabella, Daniele Winitts e Paloma Duarte. No dia 2 de janeiro é a vez de Buena Sorte, de Tânia Lamarca. Protagonizado por Marcos Palmeira, o filme conta história de um boiadeiro criado nos Estados Unidos que volta ao Brasil após descobrir que o tio está em apuros. Quem rouba a cena é Caio Junqueira, fazendo as vezes do Zorro. Amores e intrigas - For All, dirigido por Luiz Carlos Lacerda e Buza Ferraz, vai ao ar no dia 3, trazendo no elenco Betty Faria, José Wilker, Paulo Gorgulho, Edson Celulari e Diogo Vilela. A ação é ambientada durante a Segunda Guerra Mundial, quando soldados americanos desembarcam em Natal, despertando amores e intrigas. Amor & Cia., filme de Helvécio Ratton baseado na obra de Eça de Queiroz, é a atração do dia 4. Estrelado por Marco Nanini, Patrícia Pillar e Alexandre Borges, retrata triângulo amoroso no final do século 19 entre rico comerciante, sua mulher e o melhor amigo da família. O triângulo amoroso também é o mote de O Corpo, de José Antonio Garcia, que a Globo exibe no dia 5. Inspirada em conto de Clarice Lispector, a produção gira em torno do romance entre um mulherengo (Antonio Fagundes) e suas duas amantes (Marieta Severo e Cláudia Gimenez). Bela Donna, atração do dia 6, é baseado no livro Riacho Doce, de José Lins do Rego - o mesmo que rendeu uma minissérie na Globo. Eduardo Moscovis vive o pescador que vira a cabeça da bela americana (Natasha Henstridge), recém-chegada ao Ceará. Programado para a última noite do festival, no dia 7, Orfeu leva a famosa peça de Vinícius de Moraes às telas, com elenco encabeçado por Toni Garrido e Patrícia França. Mas quem se destaca nesse filme embalado por músicas de Caetano Veloso é Murilo Benício, interpretando o traficante do morro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.