Globo entra com recurso contra ação do MP

A Rede Globo entrou hoje com agravo regimental no Tribunal de Justiça (TJ) do Rio, contra a decisão do desembargador José Pimentel Marques, que no dia 14 rejeitou o primeiro recurso da emissora e manteve os efeitos da liminar da 1.ª Vara da Infância e da Juventude, determinando a exibição da novela Laços de Família somente após as 21h, e vedando a participação de menores de 18 anos no elenco. O recurso será julgado pelos desembargadores da 15.ª Câmara Cível do TJ. A Globo foi intimada no dia 27 de outubro a cumprir as determinações da liminar, concedida pelo juiz auxiliar da 1.ª Vara, Leonardo de Castro. A ação civil pública contra a emissora foi proposta pelo Ministério Público (MP) do Estado. No dia 9 de novembro, a Globo entrou com agravo de instrumento, pedindo a suspensão dos efeitos da liminar da 1.ª Vara até o julgamento do mérito. No entanto, no dia 14, o pedido foi indeferido pelo desembargador Marques. Ele considerou que a alteração no horário e a restrição à presença de crianças e adolescentes "não causariam à emissora qualquer lesão irreparável ou de difícil reparação".O desembargador Marques será o relator. Antes do julgamento do agravo regimental, ele quer ouvir a promotora Kátia Regina Ferreira Maciel, autora da ação. Ela foi intimada e tem prazo de cinco dias para comparecer. A Agência Estado apurou que a emissora entrará com mandado se segurança, caso não obtenha sucesso com o agravo regimental. Essa será também a estratégia adotada pelo autor da novela, Manoel Carlos, que quer garantir a participação na novela de sua filha Júlia Almeida, de 17 anos - ela faz o papel da personagem Estela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.