Globo é impedida de levar "Luna Caliente" ao cinema

Com o sucesso de público alcançado pela versão para o cinema da minissérie O Auto da Compadecida (mais de dois milhões de espectadores), a Globo Filmes animou-se em transformar outros produtos televisivos em filme. A mais cotada passou a ser Luna Caliente - microssérie policial exibida pela Globo em três capítulos no fim de 1999 e dirigida pelo gaúcho Jorge Furtado com base no romance homônimo do escritor argentino Mempo Giardinelli. Há poucos dias, o diretor francês Dominique Maillet, no entanto, acabou com a especulação. Ele enviou um e-mail à Rede Globo afirmando que é o detentor dos direitos de adaptação do livro para o cinema e pretende dirigir uma versão na Europa. Portanto, não abre mão da exclusividade em hipótese alguma.Segundo Luis Erlanger, diretor da Central Globo de Comunicação, na época em que a minissérie foi produzida, os responsáveis pensaram apenas na exibição para a tevê - que teve como protagonistas os atores Paulo Betti e Ana Paula Tabalipa. A emissora não admite, mas houve um cochilo e Maillet comprou os direitos para o cinema de Giardinelli. O diretor Jorge Furtado, por sua vez, afirma que a versão para o cinema já estava pronta. "Trabalhei cerca de duas semanas para concluir a versão reduzida, já que a minissérie tinha cerca de 2h15 e Daniel Filho queria o filme com 1h50." Chegou-se a tentar um acordo com Maillet sobre a questão, mas ele se mostra irredutível.Assim, A Invenção do Brasil, minissérie co-dirigida por Furtado e Guel Arraes, será a próxima investida da Globo Filmes no cinema, onde irá se chamar Caramuru - A Invenção do Brasil. O lançamento está previsto para novembro. Será a primeira vez que uma produção brasileira captada em vídeo digital de alta definição (HD) chega ao cinema, já que tanto Luna Caliente quanto O Auto da Compadecida, apesar de feitos para a televisão, foram rodados em película cinematográfica, visando a exportação para o mercado televisivo europeu.O sistema HD é o que há de mais moderno em captação digital - e a Globo é a única emissora a usá-lo. Em alguns anos, deverá substituir por completo a película, em razão do baixo custo. Atualmente, o HD possui uma granulação (no digital chama-se pixels) semelhante ao da película 16 milímetros, mas a rápida evolução tecnológica permite prever que logo atingirá a definição de 35 mm, usada no cinema. Nos EUA, o diretor George Lucas está filmando o segundo Guerra nas Estrelas em HD.Enquanto isso, a versão para o cinema de O Auto da Compadecida prepara-se para ser exibida no mercado europeu. Curiosamente, em termos de exportação, a minissérie foi o maior fracasso da Globo. Enquanto a maioria das novelas e séries globais é vendida com facilidade para diversos países, O Auto só conseguiu ser vendida para Portugal, um freguês habitual. A Globo Filmes planeja, ainda, uma versão para o cinema de O Sítio do Pica-Pau Amarelo e também a adaptação do livro Olga, de Fernando de Morais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.