Globo atribui sorteios à GloboSat

A TV Globo credita à Globosat a autoria da promoção dos sorteios da Copa realizados nos seus intervalos por seu elenco - Faustão, Cissa Guimarães ou Luigi Barrichelli. Diz a Assessoria de Imprensa da TV Globo que o papel da emissora no caso se restringe à venda de espaço de mídia para a GloboSat e também à produção, como empresa contratada dos programetes, além de cuidar da mecânica do negócio. Assim como Igreja Universal e TV Record, GloboSat e TV Globo pertencem ao mesmo dono.O Estado procurou a Globo na quarta-feira passada para entender quem banca essa avalanche de prêmios. A reportagem foi orientada a procurar a GloboSat, que só ontem se manifestou, por meio de um comunicado.O negócio é chamado pela GloboSat como "produto jornalístico para utilização em telefonia móvel", em conjunto com a Editora Globo. O cidadão interessado em participar requisita um boletim por meio de telefonia móvel (mensagem de texto, SMS). Paga então R$ 4,00 pelo boletim e nada pela ligação.Até hoje foram recebidos 15 milhões de ligações - a expectativa é alcançar 25 milhões (R$ 100 milhões). Informa ainda o comunicado que a receita apurada é consumida na produção dos filmes, aquisição de prêmios e compra de mídia. "Provavelmente não haverá lucro."E continua: "A intenção da GloboSat é criar um mercado para esse novo produto, que é o Boletim de Notícias recebido em telefonia móvel." "Esse estímulo está ensinando e difundindo o uso da mensagem de texto como forma de aquisição de produtos através de aparelhos celulares."Além da configuração de jogo na TV, suspeita que vem merecendo investigação do Ministério Público Federal de São Paulo, cabe perguntar: por que chamar de "produto jornalístico" um negócio que interessa basicamente ao mercado publicitário?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.