Globo adota conceito americano de temporada

Em vez de planejar programas para um ano inteiro, sob o risco de tirá-los do ar no meio do calendário, a direção da Globo refará o discurso: está clonando o conceito de temporada, adotado à exaustão pela TV americana. A oratória é perfeita para aplacar os ânimos internos e do mercado. Na prática, o significado é o mesmo: programas que não tiverem grande efeito no Ibope saem de cena.Quem levou a idéia à direção da Globo foi Guel Arraes, dono de prestígio cada vez maior dentro da emissora. Foi ele quem, pela primeira vez, emplacou um projeto realizando apenas poucos episódios, no caso o seriado A Grande Família: o programa vai ao ar com poucas edições para manter a qualidade do texto, enquanto é "avaliado" pelo público. Se der a audiência desejada, outros episódios são gravados para uma temporada seguinte. Mais: em vez de isso ser visto como algo normal, é enxergado como sucesso. E se o programa não for adiante, a emissora já está preparada para tapar o buraco, ganhando agilidade.A ordem agora é que todos os diretores de núcleo apresentem seus projetos para a linha de shows dentro dessa filosofia. Na semana passada, os diretores de núcleo foram comunicados que há vagas para a grade do segundo horário de shows no segundo semestre. Começou, então, uma verdadeira corrida contra o tempo para a apresentação de sugestões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.