Gisele será testemunha em processo

John Casablancas não estava brincando quando disse que iria se vingar da "traição" de Gisele Bündchen. O chefão da agência Elite não se conforma com o fato de que a supermodelo brasileira trocou a empresa pela IMG, que representa além de modelos, celebridades do cinema, da música e dos esportes. A menina recebeu, nos bastidores de um desfile em Nova York, uma intimação para depor no processo da Elite contra sua booker, Anne Nelson.Bündchen e Anne deixaram a agência no ano passado, quando a carreira internacional da top já começava a decolar. Na mesma época, a Elite foi envolvida em um escândalo causado por um programa da BBC, que conseguiu gravar depoimentos de diretores da agência (com uma câmera escondida) falando sobre casos de aliciamento e envolvimento com drogas de modelos menores de idade.Casablancas aproveitou para detonar modelos "gananciosas", garantindo ter sido o inventor do fenômeno das supermodelos nos anos 80. "Eu permiti que elas tivessem uma voz, além de um rosto", disse ele. Sobre Bündchen, o empresário afirmou: "Ela é uma menina mimada e provavelmente a criatura mais egoísta que já conheci em toda a minha carreira."A promessa de vingança deve ser levada a sério. A Elite quer US$ 15 milhões de indenização de Anne. A IMG, que está sendo acusada de "quebra de confidencialidade e forte interferência nos negócios da Elite", não quer comentar o assunto, alegando restrições legais."Temos um excelente caso nas mãos", disse Casablancas ontem ao jornal New York Post. "Não vejo a hora de estar frente a frente com Gisele e a família dela para que a verdade finalmente venha à tona."Embora ainda seja cedo para prever as chances da Elite, uma coisa é certa: Gisele, que recebeu a intimação em clima de surpresa enquanto se preparava para o desfile de Ralph Lauren, vai ter de testemunhar no caso, mesmo que a acusada direta seja Anne. Ela é considerada uma "testemunha material" na história. O caso deve esquentar nos próximos dias, quando a IMG deve confirmar um novo contrato de vários milhões de dólares para Bündchen.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2000 | 13h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.