Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Gisele, em estilo black power da Zoomp

Nem a cobra de Ricardo Almeida, muito menos o cavalo de Renato Loureiro. O bicho que mais abalou a SPFW em seu primeiro dia foi Gisele Bündchen, que virou a Black Panther no desfile da Zoomp. A top abriu o desfile da grife de Renato Kherlakian de peruca black power (mas loira, como ela, tipo revanche das cacheadas. Se até Gisele encara uns cachos, por que não as pobres mortais?), e cruzou a passarela cheia de energia, como há tempos os brasileiros não viam. Suas últimas passagens por aqui foram marcadas ora por um estrelismo exagerado, ora por um mau humor de doer. Desta vez não.Gisele cumpriu seu papel direitinho, distribuiu sorrisinhos, arrancou aplausos da platéia (ainda que a turma dos vips da Globo - formada por gente como Carolina Dieckman, Dado Dolabella, Juliana Paes, Carol Cleto e outros, preferissem Mariana Weickert), e fez suas poses para o pit. O inverno da Zoomp? Bem... com tantos vips, políticos (Aécio Neves foi, Marta Suplicy também) e celebridades de todos os quilates, parece que a grife não estava querendo chamar muita atenção aos seus modelitos. A marca apostou tudo no movimento black e nos anos 70. Alguns acertos, como as correntes, tachas, jeans, medalhas, casacos de vinil, jaquetinhas curtas, shortinhos de jeans, e um pouco de exagero nas pelúcias, como se tivessem tirado o couro da coitada da black panther. Bons os metalizados e exagerado o uso das franjas. Fora a muvuca para entrar, para ficar (muito vip junto dá urticária, a chamada doença da fama, sabe como?), e para sair (o contra-fluxo era imenso, uns querendo ir para o camarim, outros tentando sair da sala de desfile, o desfile da Zoomp cumpriu o que prometeu: tumulto fashion e a constatação de que furacão Gisele está longe de perder força.Veja galeria do SPFW

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.