Gisele agita o 1º dia da SPFW, que recomeça hoje

Em clima de festa de debutantes, o primeiro dia da 15.ª edição da São Paulo Fashion Week, ontem, no Parque do Ibirapuera, teve Gisele Bündchen e outras tops na passarela, platéias cheias de artistas e decoração cor-de-rosa na Bienal. No total, oito estilistas mostraram suas coleções de verão e abriram a semana para outros 37 desfiles até sábado. Novamente, a maior top brasileira mobilizou as atenções e mostrou mais do que o habitual, desamarrando a saída de praia diante de fotógrafos e cinegrafistas. Apareceu com três biquínis diferentes e, da segunda vez, escapou por pouco, e sorrindo, de um tropeço. Com a falta de organização, a modelo também causou tumulto no camarim da grife Cia Marítima. Exatamente como esperavam os representantes da marca. O evento já entrou nas comemorações dos 450 anos de aniversário de São Paulo, marcadas para 2004. Tanto que antes do início de cada desfile há uma vinheta com imagens em preto-e-branco da cidade, desde os anos 30. "O papel da São Paulo Fashion Week é importante, seja trazendo turistas, criando emprego ou ditando moda", diz o secretário de Turismo e presidente da Anhembi, Celso Marcondes. Vips ? Ricardo Almeida abriu a maratona de desfiles tendo na platéia famosos. Ana Maria Braga, Xororó e o filho, Júnior, foram pela primeira vez ao evento. "Adorei a coleção, ele é muito despojado", disse Ana Maria. O prêt-à-porter mostrou peças com modelagem que valoriza o corpo, sem perder a leveza. O jogador Roberto Carlos também estava na platéia. Depois foi a vez do burburinho da Cia. Marítima, com Gisele Bündchen. A coleção é rica em cores, recortes e amarrações, o que deve garantir o sucesso nas praias no próximo verão. A modelo Isabeli Fontana vestiu literalmente a camiseta da campanha Natal dos Sonhos, que vai arrecadar brinquedos para crianças carentes. Ela abriu o desfile da marca Carlota Joakina, levando seu filho, Zion, no colo, ao som de uma cantiga de ninar. Em seguida, o jovem Pedro Lorenço mostrou uma coleção em que prevaleceu a dobradinha preto e branco, em peças futuristas, com toque cibernético. Alexandre Herchcovitch buscou nas camisolas a inspiração para desenhar suas novas peças. Saias, blusas e vestidos ganharam acabamento típico de lingerie. A sensação do desfile do mineiro Ronaldo Fraga foram as crianças, representando as artesãs do Vale do Jequitinhonha e as bonecas que elas produzem. E depois de uma programação exaustiva, a Vide Bula, conseguiu reanimar muita gente. A grife transformou a passarela numa pista de patinação, embalada por música dos anos 80. A Ellus fechou o primeiro dia de desfiles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.