Giscard d´Estaing entra para a Academia Francesa

A Academia Francesa elegeu hoje seu novo imortal: Valéry Giscard d´Estaing, de 77 anos, presidente do país entre 1974 a 1981. É o primeiro ex-chefe de Estado da França a entrar para a Academia, que desde sua criação em 1634, no reinado de Luís XIII, já acolheu gênios como Jean Racine, Voltaire e Victor Hugo. A eleição, que teve outros seis candidatos à vaga do senegalês Leopold Sedar Senghor, foi cercada de polêmica. Ao final, Giscard recebeu 19 dos 34 votos.A polêmica começou com ataques à candidatura do ex-presidente por outro imortal, Maurice Druon, que fez publicar no Le Figaro um artigo devastador de cinco páginas. Druon leu o único romance de D´Estaing e o descreveu como uma "longa passagem que descreve como um homem de bem leva em sua armadura fuzis de caça". E ainda questionou também os títulos nobiliárquicos de Giscard - conta-se na França que seu sobrenome "d´Estainge" foi comprado por um antepassado.Mas Druon não conseguiu impedir a vitória de Giscard. O ex-presidente contou com o apoio dos imortais Hélène Carrère d´Encausse e Jean d´Ormesson. Nem por isso a polêmica acabou. O protocolo obriga o novo integrante a pedir a aprovação do Protetor da Academia Francesa, que vem a ser o presidente da República em exercício, ou seja, Jacques Chirac, seu antigo desafeto. Giscard, atualmente, está colaborando na formulação de uma constituição para a União Européia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.