Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Gilberto Gil ganha liminar contra o Facebook

Em suposta entrevista, cantor e compositor teria defendido ex-presidente Lula e criticado a Operação Lava Jato

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2017 | 12h46

RIO - O cantor e compositor Gilberto Gil conseguiu obter uma liminar na Justiça contra o Facebook e a Rede Pensa Brasil. Gilberto Gil acionou a Justiça para que os sites excluíssem postagens e links de uma falsa entrevista atribuída ao cantor, com supostas críticas à Operação Lava Jato e ao juiz Sérgio Moro e defesas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A decisão foi tomada pelo juiz Carlos Sérgio dos Santos Saraiva, do Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. O título da matéria falsa era: “Gilberto Gil diz: Lula que tanto lutou pelo povo não merecia passar por isso tudo por causa de um juizinho”.

A rede social também foi obrigada a informar os dados pessoais cadastrados de Hernandes dos Reis Renan Reis, cujo perfil no Facebook replicou a matéria, acrescentando comentários de cunho racista contra Gil. A decisão prevê multa diária de R$ 3 mil, caso seja descumprida.

Na decisão, o juiz disse que a falsa entrevista se trata de um “mero factoide”, criado pelo réu para “captar seguidores na internet e, com isso, alavancar seus negócios”.

Segundo o magistrado, o uso da imagem de Gil foi indevido e tinha o objetivo de “angariar novos seguidores para o segundo réu, que geram comentários de ódio e cunho racista como se depreende da inicial”. O juiz ressaltou que o “demandante jamais concedeu a entrevista, o que demonstra a existência de supostos crimes de difamação/calúnia”, completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.