Gilberto Gil faz show com tempero árabe em Abu Dabi

Gilberto Gil passou pelo mundo árabe nesta semana para deixar um pouco do gingado brasileiro. Depois de se apresentar no Egito como convidado de honra do Cairo Jazz Festival, o cantor desembarcou pela primeira vez na capital dos Emirados Árabes Unidos.

AE, Agência Estado

26 de março de 2013 | 11h04

Com um show de quase duas horas, ele participou no sábado do Abu Dhabi Festival, ao lado do filho, Bem Gil, e do percussionista Gustavo di Dalva. A apresentação teve também um tempero árabe, com a presença da cantora egípcia Dina El Wedidi.

"A civilização árabe está se mantendo afastada da ocidentalização do mundo por muitas razões, em termos de religiosidade, de manter a autoridade relativa à sociedade, estabelecer uma economia forte baseada no petróleo", disse Gil. "Ao mesmo tempo, é naturalmente influenciada pelo modelo ocidental em termos de governo, sociedade de consumo. Eles querem manter valores árabes, mas também compartilhar valores ocidentais."

A receptividade na plateia do luxuoso auditório do Emirates Palace ainda era pequena durante o início do show, mesmo com músicas famosas como "Eu Vim da Bahia" e "O Rouxinol". Como sempre faz em suas apresentações, Gil incentivava a participação do público. Funcionou somente entre os brasileiros - muitos vindo de Dubai, a 150 quilômetros da capital dos Emirados. Num lugar repleto de estrangeiros de todos os cantos do mundo, seria perigoso cantar somente em português. Por isso, Gil sabiamente cantou também em inglês, francês e espanhol.

Para parte da plateia, o show esquentou com a chegada da cantora egípcia Dina El Wedidi, que recentemente se tornou discípula de Gil. No ano passado, ela foi escolhida por ele para participar do programa Rolex Mentor and Protégé Arts Initiative, projeto internacional que reúne jovens talentos com artistas renomados que se tornam seus mentores, para troca de experiências e colaborações musicais.

Gil mostrou mais sucessos e ganhou o público. Muito aplaudido, recebeu elogios da fundadora e diretora artística do evento, Hoda I. Al Khamis-Kanoo. "Seu espírito sintetiza a nossa crença na arte como uma herança coletiva." O cantor faz nesta terça show na Tunísia e depois volta para o Brasil, onde participa dos shows de Jorge Mautner, que começam no dia 2, no Sesc Pompeia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
músicaGilberto Gil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.