Gilberto Gil combina música e política no Chile

A visita oficial do ministro da Cultura do Brasil Gilberto Gil ao Chile, iniciada hoje, combina a política com a música, conforme noticiam as agências internacionais. "Gil chegou aqui para uma série de contatos com autoridades chilenas e fazer um show, na sexta-feira, no qual fará um tributo a Bob Marley e cantará alguns de seus sucessos". No primeiro dia de sua visita, Gil se reuniu com estudantes chilenos e visitou a casa do poeta Pablo Neruda, transformada em museu no vizinho balneário de Ilha Negra.O artista baiano disse que trabalhará para estreitar os vínculos culturais entre o Brasil e o Chile e confessou que há muito tempo é um admirador do cantor chileno Lucho Gatica."Me interessava a música do Chile e continua me interessando, mas agora com o trabalho de ministro me interesso por tudo, toda a questão do patrimônio histórico, a literatura, os museus, as artes plásticas, tudo, tudo", disse Gil em entrevista à Rádio Cooperativa.Acrescentou que seu trabalho no ministério tem um atrativo maior por ser parte de um governo "de muita novidade e expectativa" como o do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Hoje, Gil reuniu-se com o chefe da Divisão de Cultura do Ministério da Educação Cláudio Di Girólamo. No Chile não existe o cargo de ministro da Cultura. Amanhã, Gil visitará um povoado pobre de Santiago e assinará com o ministro de Educação, Sergio Bitar, um acordo de intercâmbio cultural.

Agencia Estado,

07 de maio de 2003 | 18h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.