Gil faz apelo "dramático" por verbas

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, disse hoje na capital baiana que está pleiteando "insistente e dramaticamente", ao Planalto uma "recomposição" da verba do orçamento da pasta que foi contingenciada pela área econômica pelo terceiro ano consecutivo. Conforme o ministro houve um corte de 53% no orçamento, equivalente a cerca de R$ 280 milhões, de sua pasta neste ano. "O ministro (Antonio) Palocci já se manifestou no sentido de que os seus colegas de ministérios devem reivindicar o que for possível nas suas áreas e estamos fazendo isso", comentou ao participar em Salvador da assinatura de convênios do Programa Monumenta para a restauração de imóveis históricos nas cidades baianas de Cachoeira e Lençóis.Gil admitiu que Palocci é um "osso duro de roer" para se arrancar dinheiro, mas explicou que esse é papel de todo ministro da Fazenda. "O trabalho dele é sentar em cima do cofre, principalmente quando o Brasil precisa produzir superávits, condicionantes de qualificação da inserção do País no conjunto internacional", disse. "Palocci está fazendo muito bem o seu papel, mas cabe a nós dizermos: olha, devolve", observou sorrindo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.