Gil diz em Barretos que "momento é grave e delicado"

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, disse hoje em Barretos (SP) que o atual momento político vivido pelo presidente Lula e pela Nação é "grave e delicado, mas tudo se resolverá". Gil, que participa da Festa do Peão de Boiadeiro, não quis comentar o discurso de Lula na TV. "Acho que nem o presidente teve tempo para avaliar porque a reunião ministerial terminou tarde", disse. Segundo Gil, os assuntos tratados no encontro de ministros foram temas ligados ao orçamento dos ministérios e assuntos relacionados à administração, e não se falou sobre política. "Acho que as coisas serão resolvidas por instâncias competentes, como a Justiça e a Polícia Federal, que estão trabalhando para levantar os acontecimentos. Para o ministro, "o Brasil vive um dos picos dentro da onda de normalidade da política", mas que não é função dele, como ministro, fazer comentários sobre o tema político. "É uma relação do presidente com o PT, que será resolvida entre ele e o partido. Eu sou um ministro e, como tal, tenho que me ater às questões administrativas da minha pasta", disse Gil à imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.