Gianecchini: "Novela é teste para qualquer casal"

Aos 31 anos, Reynaldo Gianecchini protagoniza sua quarta novela (Da Cor do Pecado, no papel dos gêmeos Paco e Apolo), com a convicção de que ainda está aprendendo o ofício de ator. Nesta entrevista, o ator fala do massacre que sofreu da mídia ao estrear na TV, das fofocas, do casamento com a jornalista Marília Gabriela e da barra de ser famoso. Estado - Giovanna Antonelli diz que você está dando um tapa de luva de pelica em quem o criticou. Você também sente isso?.Reynaldo Gianecchini - Não penso mais nisso. Acho uma loucura ter estreado em novela sem experiência alguma. Sou corajoso e não penso nas conseqüências, mas respeito a profissão que escolhi, sei que tenho de estudar muito. Estou em formação, por isso sou chato, grudo no diretor, quero saber como fica melhor cada cena, etc. As críticas pesaram muito para você no começo?Foi horrível ser achincalhado. Não acho que fui perseguido, mas a mídia adora pegar o ponto fraco de uma pessoa que está em evidência. Mereci ser criticado pela inexperiência, mas não desrespeitado. Nunca fui um menino que deixou a passarela para ser celebridade, como foi pintado. Foi o trabalho como ator no teatro que me levou para a TV. Eu fazia Boca de Ouro, montagem do Zé Celso Martinez Corrêa, quando fui chamado para fazer o teste para Laços de Família. Tinha feito cursos de teatro e a peça Cacilda! (de Zé Celso). O que mais pesa durante a gravação de novela?A carga horária. Só não atrapalha meu casamento porque tenho uma mulher do meio e muito compreensiva. Marília vem muito ao Rio, ela ajuda a fazer este casamento viável. Novela é um teste para qualquer casal. O que mais o incomoda em ser famoso?Não gosto de dar autógrafos, é constrangedor. As pessoas agem alucinadamente como se a gente fosse um ET.Qual foi o maior constrangimento que você passou?Quando fazia Esperança, fui visitar uma tia de 90 anos na cidade de Olímpia, em São Paulo. Ela é a memória da minha família italiana, queria conversar sobre isso com ela. Alguém me viu entrar na casa e daí um pouco estávamos cercados por uma multidão. Quebraram o portão, invadiram o jardim, minha tia entrou em pânico, quase morreu de susto. Saí de camburão para o aeroporto. Foi uma verdadeira insanidade. Qual é o tipo de fofoca que mais chateia?O que mais chateia é a dimensão que elas tomam. Alguém publica uma nota em um site qualquer e todo mundo copia, querem nos obrigar a falar algo. Eu não dou mais satisfação. Qual foi a pior?A mais escandalosa foi a que envolveu a Vera Fischer, na época da novela Laços de Família. Fico admirado com a facilidade com que as pessoas inventam as coisas. Recentemente o site Glamurama escreveu que eu e a Marília estávamos nos separando, imediatamente todo mundo estava ligando para confirmar e os programas falaram sobre o caso. Isso me enche.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.