Gerald Thomas cria programa de TV

Gerald Thomas pode estrear na TV em breve. O diretor teatral negocia com a TVE, do Rio, a produção do que classificou como uma espécie de docudrama. A idéia consiste em abordar personalidades, em locais públicos, com textos clássicos previamente ensaiados por atores da Cia. da Ópera Seca, criada há 22 anos pelo encenador. Os textos entrariam no meio da conversa, de modo informal."Estamos sentados num lugar, pode ser um restaurante, em que se encontram celebridades. Jogamos o diálogo na roda e quero ver como se comportam. Três câmeras registram tudo", resume Gerald Thomas, citando como exemplos, Julio Cesar, de Shakespeare, e O Doente Imaginário, de Molière. O diretor conta que os textos serão atualizados e a produção deve começar pela obra de Nélson Rodrigues. Thomas diz ainda que teve a idéia ao perceber que freqüentemente encontra políticos em eventos e "não se faz nada nesse momento". "Quero dinamizar essas situações: o projeto é uma forma de submeter os textos a pessoas que, política e economicamente, tenham algo a responder ao País."Pedro Malan, José Serra e FHC são citados entre as cobaias desejadas pelo diretor. Na sua peça mais recente, Esperando Beckett, uma entrevistadora de TV (Marília Gabriela) conversa com o dramaturgo irlandês. Mas Thomas diz odiar televisão. "Só assisto a CNN e aos seriados do Sony."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.