Arquivo/AE
Arquivo/AE

Gene Kelly, astro de 'Cantando na Chuva', morreu há 15 anos

O astro do cinema estava com 83 anos e morreu enquanto dormia ao lado de sua mulher, Patrícia Ward

Rose Saconi, O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2011 | 18h00

Há 15 anos o cinema perdeu o último representante da era dourada dos musicais de Hollywood, Gene Kelly. O ator, bailarino e diretor coreografou e protagonizou filmes famosos como Cantando na chuva e Sinfonia de Paris.

 

O astro do cinema estava com 83 anos e morreu enquanto dormia ao lado de sua mulher, Patrícia Ward. O Estado publicou a notícia (leia aqui em PDF) com informações enviadas pelo correspondente em Los Angeles e um perfil de Gene Kelly escrito pelo crítico de cinema Luiz Carlos Merten.

 

Oscar. Em 1951, Eugene Curran Kelly recebeu um Oscar especial por sua trajetória de toda uma vida dedicada à arte de dança e ao cinema. Ao lado de atrizes como Cyd Charisse, Ann Miller e Debbie Reynolds, o bailarino protagonizou algumas das cenas inesquecíveis da história do cinema.

 

 

Seu talento foi revelado pela adversidade. Nascido em Pittsburgh, Pensilvânia, terceiro dos cinco filhos de um casal de classe média, foi obrigado, pelo crack da bolsa de valores de 1929 e a recessão que se abateu nos Estados Unidos, a começar a trabalhar aos 17 anos. "A queda da bolsa me levou aos palcos", costumava contar Gene. Na infância recebera lições de dança da mãe. Tentou, sem sucesso, as carreiras de jornalista e professor de ginástica. Até que conseguiu um emprego em 1933 como coreógrafo de um grupo de garotos na Associação Cristã de Moços.

 

Em 1938 debutou no teatro, nas funções de dançarino e diretor-assistente do musical Hold your hats, escrita e produzida por Charles Gaynor. No mesmo ano participou do musical de Cole Porter, Leave it to me. A partir daí outros musicais se seguiram, Idílio em dó-ré-mi, A filha do comandante, entre outros. Em Marujos do amor, Kelly criou alguns dos passos que iriam marcar o seu estilo.

 

Dançou com uma menininha mexicana, dançou sozinho com tiradas circenses, com o ratinho Jerry, além da parceria com Frank Sinatra na coreografia sobre as camas de lona de um dormitório de navio.

Gene Kelly voltou a vestir o uniforme da Marinha em Um dia em Nova York, uma epopeia de três jovens marujos às voltas com a beleza da cidade e das garotas.

 

Vida conjugal. O ator e bailarino casou-se três vezes. Sua primeira esposa foi Betsy Blair, com quem teve um filho, Kerry. Casou-se pela segunda vez, com Jeanne Coyne, mãe de seus filhos Bridget e Tim. Sua última esposa foi Patrícia Ward, que o acompanhou até a morte. Kelly morreu de derrame, aos 83 anos.

 

 

Veja também:

trailer VÍDEO: Cantando na Chuva (1952)

trailer VÍDEO: Marujos do Amor (1945)

trailer VÍDEO: Um Dia em Nova York (1949)

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Gene Kelly'Cantando na Chuva'

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.