Divulgação
Divulgação

Gene Hackman vive um papel autêntico: o de um escritor

Longe das telas desde 2004, ator já escreveu três livros em parceria com Daniel Lenihan e dois em carreira solo

Ubiratan Brasil, Enviado espcial - Los Angeles - O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 20h01

Em temporada de Oscar, o nome do ator Gene Hackman é associado às duas estatuetas conquistadas: como protagonista de Operação França (1971) e como coadjuvante por Os Imperdoáveis (1992). Mas Hackman, um dos mais respeitáveis atores americanos, não atua no cinema desde 2004, quando participou da comédia Uma Eleição Muito Atrapalhada. Nessa ausência de uma década, ele compensou escrevendo livros de ficção – primeiro, em parceria com Daniel Lenihan; agora, em voo solo.

Pursuit (Busca) é seu mais recente romance e exibe um clima de tensão semelhante à Operação França ao contar a história de uma policial do Missouri, Juliette Worth, que sai à caça de um serial killer, sequestrador de sua filha. Já Payback at Morning Peak, publicado em 2011, que relata as precoces memórias de Jobal, um jovem cavaleiro, traz aquela mesma poeira solitária presente em Imperdoáveis

As comparações não incomodam o ator/autor. “Se o primeiro romance traz alguma leveza ao contar os sonhos de um rapaz, Pursuit é um pouco mais sério”, comentou, em entrevista à imprensa americana. “Escrever é uma atividade libertadora para mim, pois não tenho um diretor nas minhas costas, dizendo como pronunciar aquela sílaba, como acontece no cinema. Mas, se não terei, na literatura, uma carreira tão bem-sucedida como a de ator, ao menos posso dizer que essa é mais criativa.”

Aos 84 anos, Gene Hackman vive em Santa Fé, no Novo México, ao lado de Betsy, com quem é casado há 23 anos. A região inspirou não apenas seus dois livros, como também a parceria com Lenihan, um biólogo marinho. Segundo o ator, a ideia surgiu de uma forma prosaica – durante um almoço, eles conversaram sobre preferências literárias e, depois de descobrirem muitas semelhanças, decidiram se aventurar pela ficção.

Foram três livros escritos juntos (Wake of the Perdido Star, publicado em 2000, Justice for None, de 2004, e um romance histórico, Escape from Andersonville: A Novel of the Civil War, de 2008). “Passei a minha vida dividindo o trabalho de criação com alguém e, com Daniel, não foi diferente. Mas eu precisava testar a minha capacidade de trabalhar sozinho, daí minha decisão de me arriscar em carreira solo”, afirma Hackman.

Ele criou uma espécie de escritório em sua casa, onde escreve todos os dias, apenas pela manhã. “Não trabalho depois das 2 da tarde, pois, caso contrário, fico acordado a noite toda, pensando na trama.” Autor à moda antiga, Hackman escreve à mão e, depois de finalizado, o original segue para uma datilógrafa. Antes de ir para a editora, no entanto, Hackman ouve os comentários da mulher Betsy, sua primeira leitora crítica.

Empolgado com a nova atividade, Gene Hackman não pretende voltar ao cinema. “Agora, serei visto apenas em reprises”, diverte-se ele. 

PURSUIT

Autor: Gene Hackman

Editora: Pocket Books (Importado; 368 páginas, US$ 7,19)

Tudo o que sabemos sobre:
Literatura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.