Gazeta ressuscita "Comando da Madrugada"

A reestruturação da grade de programação da TV Gazeta permitirá que um programa jornalístico que ficou durante quase 20 anos no ar volte a ser produzido. A partir de 1º de julho, as madrugadas da Gazeta exibirão o retorno do Comando da Madrugada, programa apresentado pelo jornalista Goulart de Andrade, que recentemente deixou de produzir o Repórter Record para a emissora de Edir Macedo.A idéia de "ressuscitar" o antigo programa, segundo Goulart, foi tanto dele, quanto da Gazeta. "Quando saí da Record, eles me procuraram para oferecer um espaço na programação e eu sugeri reviver o Comando, evidentemente que com um novo formato, mas mantendo a mesma essência", explica o jornalista, que na última semana ainda acertava detalhes de seu contrato com a nova emissora.Nascido na Rede Globo em 1978, o Comando da Madrugada foi exibido por todas as emissoras de São Paulo e apresentado pela última vez em 1997, na extinta Manchete. No início, o programa consistia em exibir reportagens feitas na noite de São Paulo, abrangendo os mais diversos assuntos.A atualização do formato permitirá também que a atração seja mais interativa. "A tecnologia nos obriga a ter uma presença mais oportuna no jornalismo factual. São Paulo é muito fascinante e merece ter um veículo de comunicação de madrugada. Sempre que possível, entraremos ao vivo no programa", adianta o jornalista, lembrando que a capital paulista não será o único alvo das matérias do Comando. "Já agendei alguns compromissos em outros Estados brasileiros e também no exterior", revela.Silicone - As pautas do novo Comando, que terá direção de James Rúbio (ex-diretor de Jornalismo da Record), também deverão contar com o reforço de antigos documentários produzidos durante o tempo em que o programa ficou no ar. "Vamos mostrar antigas matérias, como as que fiz para a série Na Pele do Lobo (na referida série, o jornalista vivia um pouco do que era mostrado no programa e convivia junto aos profissionais enfocados na matéria, como um catador de lixo ou um pára-quedista, por exemplo)".Outra matéria que certamente será exibida na nova fase do Comando será o especial sobre implante de silicone, reprisado inúmeras vezes pelos vários canais por onde o jornalístico passou. "É muito engraçado lembrar aquela reportagem. Fiz mais de mil programas durante quase 20 anos, todos com assuntos diferentes, e até hoje areferência continua sendo essa reportagem, que na época me valeu até um prêmio", brinca o jornalista.Trabalho dobrado - O retorno à antiga atração significará, logo de cara, trabalho dobrado para a produtora de Goulart. "Se no Repórter Record a gente já tinha bastante trabalho para pouco mais de uma hora semanal, imagine uma hora por dia, de segunda a sexta?", raciocina o jornalista, que já soma 42 anos de carreira na televisão. "Teremos que ter um repórter que cubra também o dia."Assim como ocorrerá com o Comando, o jornalístico Repórter Record também era produzido pela produtora de Goulart. "Como a emissora alegou que precisava cortar verbas, tivemos que parar. É provável que possam dar continuidade ao produto lá dentro mesmo, imaginando que vão gastar menos. Cheguei até a propor um talk show, mas como iria entrar a partir da meia-noite, não há espaço, porque o horário já pertence à Igreja Universal". O Departamento deDivulgação da Record informou que o último Repórter Record gravado por Goulart deve ir ao ar na próxima sexta, dia 2. A emissora ainda não divulgou se escalará um novo apresentador para substituí-lo ou se o programa deixará de ser exibido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.