Gaúchos querem regravar minissérie

O governo do Rio Grande do Sul está em estado de graça desde que a série A Casa das Sete Mulheres estreou na Globo. O fascínio é tanto que partiu do próprio gabinete do governador Germano Rigotto a idéia de pedir à emissora que regrave os dez últimos capítulos da série, para mostrar ainda mais a paisagem gaúcha, "aumentar a auto-estima do nosso povo e promover ainda mais o turismo". Para solicitar à Globo que refaça os dez últimos capítulos do programa, foi enviada ao Rio uma missão chefiada pelo secretário de Cultura do Rio Grande do Sul, Roque Jacoby. Ele calcula que seria necessário trazer de volta ao Estado pouco mais de 40 pessoas, entre atores e técnicos. A idéia do governo gaúcho é incluir imagens de outras regiões do Estado e músicas típicas na trilha sonora da série. Um dos lugares que o governo gostaria de ver incluído é a cidade de Piratini. "A capital da República Farroupilha não teve nenhuma cena gravada lá", disse o secretário. Os representantes do governo gaúcho estão reunidos com a direção da Globo desde terça à noite. A emissora gastou R$ 200 mil para cada capítulo da série. Portanto, o custo total das regravações chegaria a R$ 2 milhões. "Estamos buscando parceria com empresas de aviação, prefeituras, hotéis, e todos os setores que de alguma forma podem ganhar com a projeção de suas regiões na série", disse Roque Jacoby. O secretário não quis dizer quanto sairia dos cofres do governo, mas salientou que essa seria a primeira "grande obra" do governador Rigotto. Até agora a Globo, incluindo o diretor da série Jayme Monjardim, não respondeu se topa ou não refazer os capítulos finais. O sucesso da produção foi tão grande que, além de aumentar o fluxo de turistas, inclusive gaúchos, às regiões mostradas em A Casa das Sete Mulheres, colocou o livro que inspirou a série no topo da lista dos mais vendidos. A obra da novata escritora Letícia Wierzchowski está há quatro semanas na lista. Na semana passada alcançou o primeiro lugar e chegou à quinta edição. A média de audiência da série também está sendo comemorada. Segundo a Globo, A Casa das Sete Mulheres tem dado audiência média de 26 pontos, mesmo com a exibição do programa depois do ?Big Brother Brasil 3?. As negociações com a produção da série começaram há três semanas. O porta-voz das aspirações do governo gaúcho foi o ator Zé Vitor Castiel, que faz uma ponta na série. O Departamento Comercial da Globo sinalizou que estaria aberto a negociações e as duas rodadas de encontros se iniciaram na noite de terça. A delegação gaúcha incumbida de convencer a emissora a refazer os capítulos tem ainda o reforço do secretário de Turismo, Luís Augusto Lara, e do chefe de Comunicação do Palácio Piratini, Fábio Bernardi. A Globo deve tomar a decisão ainda nesta semana e dizer quais personagens voltarão para o sul para gravar o final da série.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.