Gato Doraemon ganha museu no Japão

Ele é um robozinho azul em forma de gato, que veio do futuro e se tornou um ícone da animação e dos quadrinhos japoneses, amado no mundo todo.

REUTERS

23 de agosto de 2011 | 09h15

Agora, o icônico Doraemon tem o próprio museu, nos arredores de Tóquio - mas precisa dividir espaço com seu criador, Fujiko F. Fujio.

O museu exibe 50 mil itens, o que inclui principalmente desenhos originais, mas também uma prancheta e outros objetos usados por Fujio, que morreu em 1996. Há também um pequeno auditório e um café.

Enviado ao passado para ajudar um menino chamado Nobita, Doraemon costuma usar bugigangas do futuro para resolver os problemas. Muitos episódios do desenho animado também apresentam lições de moral.

"Pessoalmente acredito que o próprio fato de as crianças do mundo todo lerem e gostarem de Doraemon é um testemunho do fato de que crianças são crianças, não importa onde estejam", disse Masako Fujimoto, viúva do cartunista.

A HQ de Doraemon está traduzida em mais de 30 idiomas e continua popular em muitos países. Em 2008, o personagem foi escolhido como um embaixador cultural do quadrinho japonês.

(Reportagem de Shunsuke Ide)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALDORAEMONMUSEU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.