García Márquez não voltará a escrever, diz agente literária

Carmen Balcells, uma das mais atuantes da literatura espanhola, prevê silêncio definitivo do escritor

EFE,

31 de março de 2009 | 13h49

A agente literária Carmen Balcells, uma das mais atuantes no meio literário de língua espanhola, prevê o silêncio definitivo do escritor colombiano Gabriel García Márquez, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1982.

 

"Acho que García Márquez não voltará a escrever nunca mais", disse Balcells em entrevista ao jornal chileno La Tercera, na qual assegurou que o escritor representava 36,2 % do faturamento de sua agência literária.

 

O escritor Gerald Martin, autor da única biografia autorizada de García Márquez, concordou com Balcells.

 

"Eu também acho que (García Márquez) não escreverá mais livros, mas isso não me parece lamentável. Como escritor, foi seu destino ter uma trajetória literária totalmente coerente", declarou Martin.

 

No mês passado, durante a Feira do Livro de Guadalajara, no México, o autor de Cem Anos de Solidão chegou a declarar que "escrever livros dá trabalho".

 

Segundo Martin, García Márquez tem alguns livros completos guardados, mas ainda não decidiu se vai ou não publicá-los. No entanto, o escritor argentino Tomás Eloy Martínez, amigo de García Márquez manifestou suas dúvidas a respeito por meio da Fundação Novo Jornalismo Iberoamericano e disse que "só ele conhece seus desejos e seus limites para continuar escrevendo". Tudo o mais são adivinhações, concluiu Martínez.

 

No cinema

 

Enquanto isso, a adaptação do livro de García Márquez Notícia de um Sequestro, de 1996, poderá ser rodada em outubro no México e em Bogotá. O livro relata o sequestro de dez jornalistas pelo chefe do Cartel de Medellín Pablo Escobar na Colômbia, para impedir a extradição de narcotraficantes para os Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.