Jacques Brinon/AP
Jacques Brinon/AP

Galliano é suspenso da Dior por acusações de racismo

Galliano foi escoltado até sua casa pela polícia depois de uma bebedeira em um bar

Reuters Life!

25 de fevereiro de 2011 | 11h49

A Christian Dior suspendeu nesta sexta-feira o estilista John Galliano de suas funções na empresa enquanto autoridades investigam acusações de que ele teria feito declarações antissemitas.

Galliano foi escoltado até sua casa pela polícia na noite de quinta-feira depois de uma bebedeira num bar, durante a qual ele se envolveu em uma discussão e xingou um casal num bar, disseram fontes policiais.

"A Dior afirma, com total convicção, sua política de tolerância zero em relação a palavras ou comportamento racistas ou antissemitas", disse o executivo-chefe da Dior, Sidney Toledano, em um comunicado.

"Enquanto se desenrola o inquérito, a Chirstian Dior suspende John Galliano de suas responsabilidades", informou a empresa, parte do império de bens de luxo LVMH, do bilionário Bernard Arnault.

Segundo a polícia, Galliano estava bebendo em um bar chique no distrito do Marais, em Paris, antes da briga. A polícia de Paris levou o estilista britânico para a delegacia para um teste de bafômetro e descobriu que ele estava um pouco acima do limite legal de ingestão de álcool.

A assessoria de Galliano não estava disponível para comentar o fato e a Dior não se pronunciou.

(Reportagem de Lionel Laurent e Nicolas Boutin)

Tudo o que sabemos sobre:
John GallianoDiormoda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.