Galeria carioca celebra 25 anos com mostra histórica

No Brasil é raro que instituições culturais sobrevivam por mais do que alguns poucos anos de euforia, o que torna ainda mais importante a celebração, com a inauguração de uma mostra de recorte histórico e contemporâneo, dos 25 anos de existência da Galeria Cândido Mendes de Ipanema, no Rio.Apesar da associação quase direta entre o termo galeria e o mercado de arte, a Cândido Mendes tem uma atuação estritamente cultural - nasceu, aliás, como um projeto multicultural, que unifica artes plásticas, cinema, teatro, música e literatura num mesmo espaço, inicialmente no antigo cinema Pax da Praça N. Sra. da Paz. Lá já expuseram centenas (mais precisamente 361) de artistas e foram realizadas exposições antológicas desse período, como a mostra performática O Sermão da Montanha: Fiat Lux, de Cildo Meireles, ou a exposição O Pão Nosso de Cada Dia, de Anna Bella Geiger.Infelizmente, os dois artistas estão ausentes da lista de trabalhos selecionada pelo curador Paulo Sergio Duarte para a mostra de aniversário. Ao todo foram escolhidos 25 artistas - um para cada ano de funcionamento -, que lidam com uma ampla gama de linguagens e suportes. São eles Alair Gomes; Alex Flemming; Aloysio Novis; Amador Perez; Ana Maria Maiolino; Arlindo Daibert; Carlos Bevilacqua; Claudio Kuperman, John Nicholson e Luiz Aquila; Eduardo Frota; Gastão Manoel Henrique; Gonçalo Ivo; Hugo Denizart; Ivan Lima; José Resende; Katie Van Scherpenberg; Lauro Müller; Lena Bergstein; Manfredo de Souzanetto; Manoel Fernandes; Maria do Carmo Secco; Paulo Paes; Rubem Ludolf; Tunga; Valéria Costa Pinto e Walter Firmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.