Gaitas-de-foles e polêmica gay no dia de St.Patrick

Manifestantes gays se juntaram na sexta-feira, em Nova York, a milhares de espectadores, tocadores de gaitas-de-foles e bandas, no desfile do dia de St. Patrick, santo padroeiro da Irlanda. O protesto é contra a declaração do chefe responsável pelo desfile, John Dunleavy, que comparou os ativistas gays americanos de origem irlandesa a neonazistas, membros do Ku Klux Klan e prostitutas.Presente também no desfile, Dunleavy preferiu não quis falar sobre o assunto. "Hoje é dia de St. Patrick. Nós celebramos a nossa fé e a nossa herança irlandesa, o resto é secundário", disse antes do começo do desfile.Dunleavy havia iniciado uma polêmica quando declarou a um jornal: "Se um grupo israelita quiser desfilar em Nova York, vocês deixarão os neonazistas participar? Se os afro-americanos desfilarem no Harlem, eles serão obrigados a aceitar membros do Ku Klux Klan?"Com essas indagações, ele se referia à Organização de Gays e Lésbicas irlandeses. A polícia de Nova York se posicionou entre os participantes do desfile. Os manifestantes carregavam placas com os dizeres: "Nós podemos desfilar em Dublin e Cork, por que não em Nova York?" O desfile da cidade é o mais antigo do país e chega a atrair 150 mil participantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.