Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Futebol eleva Band e Globo e derruba Record

A Band, único canal aberto a transmitir todos os jogos da Copa das Confederações, mais que dobrou sua audiência na soma da média de todas as partidas, em relação aos mesmos horários dos jogos nas quatro semanas anteriores, segundo o Ibope na Grande São Paulo. A emissora inflou seus números em 108%. A Globo, que teve 34 pontos na final, recorde do futebol no ano, estufou seu ibope em 56% durante o torneio, considerando os mesmos paralelos. A Record perdeu 24% no período e a RedeTV!, 29%. A soma de TV paga e UHF também caiu - perdeu 12%. E olhe que o número de TVs ligadas aumentou 17% diante do futebol: de 42,4% para 49,7%. A posse de Marcelo Silva como vice-presidente artístico e de programação da Record, no lugar do bispo Honorilton Gonçalves, reanimou os funcionários da emissora em quase todos os escalões - a começar pelo fato de o novo comandante não ser um bispo da Igreja Universal.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2013 | 02h14

A queda de Honoriltonvinha sendo cantada e decantada há pelo menos dois anos, mas demorou a se consumar. A perda de audiência e de talentos da emissora no último ano foi decisiva para tanto.

A propósito, Dona Xepa não reverteu para a Record a perda da vice-liderança no horário para o SBT. A novela ficou em 2º lugar uma única vez e tinha 6,2 pontos de média em São Paulo até 19 de junho, ante 7,5 do SBT. No Painel Nacional do Ibope, o SBT teve 7,1 X 5,6 pontos.

Tony Ramos e Denise Fraga estarão juntos no set, em série a ser gravada pela Globo ainda este ano, para ir ao ar em janeiro. Trata-se de A Mulher do Prefeito, com direção de Luiz Villaça.

E a Globo de fato mudou: se os cassetas vinham pisando em ovos para debochar do elenco da casa, Marcelo Adnet fez um belo gol ao satirizar Galvão Bueno, Ronaldo, Casagrande e Pedro Bial, anteontem, durante o Fantástico. Vale só para a Net, por enquanto, a versão em HD do Universal Channel. Estreou ontem.

Protagonista do remake de Anjo Mau, que estreia no Viva na 2ª feira, Glória Pires contou ao Reviva, programa do canal, que não viu a versão original porque tinha medo da capa do LP (foto): "Eu associava o nome Anjo Mau a algo como o Bebê de Rosemary. Tinha pavor".

Gravando. Intérprete de personagem que entra em cena na década de 40, ponto de partida da próxima novela da Record, Gustavo Leão adere ao figurino de época para cumprir breve participação em Pecado Mortal, primeiro folhetim de Carlos Lombardi na casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.