Funeral de Luciano Pavarotti reúne 50 mil pessoas em Modena

Cerimônia fechada para familiares, amigos e autoridades é assistida por milhares de fãs na praça da catedral

Efe, Associated Press,

08 de setembro de 2007 | 10h45

A Ave Maria de Giuseppe Verdi, na voz da soprano búlgara Raina Kabaiwanska, ecoou na catedral de Modena nesta sábado, 8, enquanto o mundo se despedia do tenor Luciano Pavarotti em um funeral que contou com a presença da família, de artistas e amigos próximos e que foi acompanhado de longe por admiradores em todo o mundo. Cerca de 50 mil pessoas assistiram a cerimônia, entre as que estavam dentro da catedral e as que se aglomeravam na praça, assistindo por meio de um telão. A emoção tomou conta da soprano Raina, que já havia trabalhado com Pavarotti, chorou ao cantar Ave Maria. O tenor Andrea Bocelli cantou a Ave Verum Corpus, de Mozart, enquanto o coral Rossini cantou peças de Haydn. O papa Bento XVI enviou um telegrama com suas condolências, que foi lido para todos no início da cerimônia, que foi conduzida pelo arcebispo de Modena, Benito Cocchi, e outros 18 padres. O texto lamentava a morte "de um grande artista que com seu extraordinário talento interpretativo honrou o dom divino da música" e também referiu-se aos familiares do tenor, para que tenham "esperança cristã para acalmar a dor da grave perda". Entre as personalidades que compareceram ao funeral estavam o primeiro-ministro italiano Romano Prodi e o ministro da Cultura, Francesco Rutelli, o diretor italiano Franco Zeffirelli e o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan. O vocalista do U2 Bono Vox também estava na catedral.  Veja também:Morre Luciano Pavarotti, um dos mais importantes tenores da históriaPavarotti, cantor de voz belíssima, com dicção impecávelLuciano Pavarotti, o tenor inconfundível Piza: Una furtiva lacrima per Pavarotti Pavarotti esteve sete vezes no BrasilOs grandes papéis do tenor Luciano PavarottiHistórias pouco conhecidas do fenômeno PavarottiMorte de Pavarotti provoca comoção na ItáliaTeatro da cidade natal de Pavarotti se chamará Grande Luciano Grandes nomes da música lamentam a morte de Pavarotti Sempre admirei a voz divina de Pavarotti, diz Plácido DomingoNa infância, Pavarotti sonhava em ser craque de futebolOuça trecho de "La Donne È Mobile", da ópera "Rigoletto", de Verdi, na voz do tenor Luciano Pavarotti  Ouça trecho de "Nessum Dorma", da ópera "Turandot", de Puccini, na voz do tenor Luciano Pavarotti  Pavarotti - Nessun Dorma   Os Três Tenores - Nessun Dorma  James Brown & Pavarotti  Luciano Pavarotti - Ave Maria - Schubert  Queen + Luciano Pavarotti - Too Much Love Will Kill You  A última exibição de Pavarotti - Torino 2006 per le Olimpiadi  Milhares de pessoas assistiram à cerimônia, restrita a convidados, em um telão erguido na praça principal de Modena, onde uma gravação das mais famosas canções interpretadas pelo tenor foi tocada ao longo de dois dias: um lembrete de uma voz agora perdida. O caixão branco do tenor, coberto com girassóis - suas flores favoritas - jazia no altar, com sua esposa, Nicoletta Mantovani, ao seu lado. Também próximo dali estavam as três filhas de Pavarotti, fruto de seu primeiro casamento, e sua irmã Gabriella. O tenor morreu na quinta-feira, 6, em sua casa nos arredores de Modena após lutar contra um câncer no pâncreas por mais de um ano. Ele tinha 71 anos. Autoridades da cidade afirmaram que mais de 87 mil cartões foram entregues para expressar suas últimas homenagens a Pavarotti. O momento mais emocionante foi durante a Comunhão, quando se escutou uma gravação de Pavarotti cantando com seu pai, um padeiro amante da música, o Panis Angelicus, de Cesar Frank. Uma forte comoção tomou conta das cerca de 800 pessoas que estavam dentro da catedral que ficaram de pé e o aplaudiram fortemente. Ao seu aplauso se seguiu o da multidão que estava fora da igreja. Durante as exéquias, o arcebispo leu uma mensagem escrita em nome de Alice, a filha de quatro anos do tenor com Nicoletta Mantovani: "Papai, você me amou tanto. Sei que me protegerás sempre. Eu te levarei vivo em meu coração de menina". Pavarotti recebeu uma homenagem de "toda a Itália" por meio de seu primeiro-ministro, que disse falou em honra a um artista que "não só capaz de emocionar, mas um mensageiro da paz", que fez da "música um instrumento da vida contra a guerra". O tenor será enterrado no cemitério de Montale Rangone, próximo a Modena, onde membros de sua família, incluindo seus pais e seu filho Ricardo, estão enterrados. 

Tudo o que sabemos sobre:
Pavarotti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.