Fundação Victor Brecheret é inaugurada em SP

Coincidindo com a recente comemoração dos 80 anos da Semana de Arte Moderna, será inaugurada amanhã, às 11 horas, no Museu da Casa Brasileira a Fundação Escultor Victor Brecheret, entidade idealizada pelafilha do artista, Sandra, e que tem como intuito deredimensionar a obra do modernista. Na mesma ocasião, serálançado o livro A Escultura Religiosa de Brecheret, mais umdos produtos dos cerca de 30 anos de estudo e reflexão de Sandrasobre o trabalho de seu pai.Os oito monumentos do artista espalhados pela cidade deSão Paulo, ou seja, sua obra pública, será um dos principaisaspectos que a nova fundação vai trabalhar. "Os monumentos sãoo que me preocupa mais no momento", explica Sandra. Para tanto,um dos projetos é levar informações às crianças da periferiasobre criações de Brecheret e mostrar quanto seus monumentos sãoimportantes para a cidade. "Como vamos pedir para que aspessoas não pichem ou subam nas obras sem, primeiro, informarsobre a importância dos monumentos? Ninguém pode exigir se nãoensinar." Sandra quer entrar em contato com a Secretaria doEstado da Cultura de São Paulo para que sejam feitas excursõesde ônibus com as crinças, para que professores expliquem asobras, para que esses alunos tenham contato com vídeos e livrosa respeito de Brecheret.Outra preocupação da fundação é em relação à classeuniversitária no sentido de estimular mais estudos sobre oescultor. "Quero propor um concurso a respeito do Monumento dasBandeiras, que no dia 25 de janeiro completará 50 anos e levou33 anos para ser construído. Além disso, ele participou daSemana de Arte Moderna com 12 esculturas. Tudo isso precisa sermais divulgado, discutido", afirma.Sandra Brecheret Pelligrini já escreveu sete livrossobre a produção de seu pai. Amanhã, ela lança seu oitavotítulo, "A Escultura Religiosa de Brecheret", um estudo sobrea arte sacra do escultor, fase que foi mais intensa no fim desua vida. O artista morreu em 1955.Edição bilíngüe (português e inglês), o livro conta comapresentação do poeta Paulo Bonfim e texto de Sandra. Há 53imagens em preto-e-branco e coloridas, entre esculturas,desenhos e fotografias do artista. "Este é de coração. Estudohá mais de 30 anos a obra de meu pai e considero sua artereligiosa de extrema sensibilidade. É como um vôo do Brecheret" diz. Segundo ela, Brecheret tinha paixão por São Francisco -"acho que se identificava com ele" - e gostava muito deanimais. "Essas peças religiosas são figurativas, mas têm umapostura moderna. E também, nenhum santo é triste, são semprefiguras alegres". O livro será vendido por R$ 50,00 e hoje, nainauguração e no lançamento, toda a renda obtida com sua vendaserá revertida para a Fundação Escultor Victor Brecheret.Inauguração da Fundação Escultor Victor Brecheret. Amanhã, às 11 horas, no Museu da Casa Brasileira. Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.705, São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.