Fundação Cultural Palmares celebra aniversário em SP

Através da moda, da música e de imagens de comunidades negras pelo mundo, a Fundação Cultural Palmares, entidade pública vinculada ao Ministério da Cultura, comemorará 22 anos de atividade num grande evento hoje, às 20 horas, na Casa das Caldeiras, em São Paulo. O evento será gratuito e aberto para a população, e contará com o desfile de moda afro do estilista Rodnei Costa, da marca Costa & Ribeiro, com a apresentação do vídeo de tribos africanas e comunidades afrodescendentes, além dos shows da cantora Mariella Santiago e da banda Eletropercussiva.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2010 | 15h15

O evento será uma das atividades comemorativas do aniversário da Fundação Cultural Palmares, que em junho lançou um edital nacional para projetos de eventos com a temática da cultura negra. O vencedor do edital foi o estilista Rodnei Costa, da Bahia, que idealizou a grande festa em que, a moda, a música e as imagens do cotidiano das comunidades afrodescendentes atuam ao mesmo tempo para reforçar a beleza da cultura negra e elevar a autoestima dessa população.

Para Rodnei Costa, "a maneira como nos vestimos é uma das formas que temos para dizer ao mundo quem somos. A música que ouvimos expressa, rítmica e verbalmente, todos os nossos sentimentos. E quando nossa imagem é mostrada, acreditamos que fazemos parte desse mundo, que somos importantes e que junto a outras culturas, tornamos um mundo mais igual e feliz."

A cantora Mariella Santiago já gravou com Sting, cantou com Gilberto Gil e Carlinhos Brown. Seu primeiro CD foi lançado em 2002, Brasken de Cultura e Arte, tem as participações como Hermeto Pascoal, Carlinhos Brown e Dj Dolores. Nos últimos anos, além de dedicar-se ao trabalho solo, colaborou com vários artistas, dentre eles Gilberto Gil e Carlinhos Brown, como vocalista. Seu novo trabalho traz Calunga Exuberante, um baião-trance, feito com o amigo Chico César.

Nascida em Salvador, a banda Eletropercussiva é a junção de referências de blocos afros com a linguagem contemporânea do hip-hop. Este gênero apresenta-se como uma leitura inovadora atrelada à influência de outros ritmos como reggae, samba, ragga, funk e dub. O som do grupo é uma mistura dos elementos analógicos e digitais como os tambores, as pickups, samplers, baixo e guitarra comandados pelos cantores e MC''s. A Eletropercussiva já lançou dois CDs desde a sua criação: o ''Eletropercussiva'' (de 2005) e ''O Universo Coletivo'' (de 2007).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.