Fundação Bienal convoca eleições extraordinárias

O Conselho de Administração da Fundação Bienal de São Paulo convocou eleições extraordinárias para o dia 07, para a diretoria da instituição e para a presidência e vice-presidência do próprio conselho. Os cargos que hoje são ocupados por Carlos Bratke (presidente da fundação) e Luiz Seraphico (presidente do conselho) foram postos à disposição do conselho.A convocação não significa que o arquiteto Carlos Bratke esteja destituído da presidência, segundo alegaram alguns conselheiros da instituição. Bratke chegou a pedir demissão ao conselho durante reunião realizada ontem à noite, mas o pedido não foi aceito. Ele até pode ser reconduzido à presidência no dia 7, reapresentando-se como candidato."Se eu conseguir superar as divergências que existem agora na diretoria, concorro com a mesma chapa", disse Bratke, hoje. "Mas ainda vou pensar se quero isso, porque do jeito que está é difícil". A decisão do órgão mostra que Bratke está prestigiado pelo Conselho de Administração da Fundação Bienal de São Paulo. Mas também indica que os conselheiros querem resolver um problema estatutário.O mandato de Bratke tinha sido prorrogado pelo conselho até 2002, para que ele pudesse realizar a próxima Bienal de artes visuais. Mas a decisão contrariava o próprio estatuto, que reza que o presidente da instituição tem um mandato de dois anos. A convocação de novas eleições resolveria o problema.Repercussão - A reunião do Conselho da Bienal foi convocada pelo próprio Carlos Bratke, após reportagem publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, em que dois conselheiros da Fundação Bienal de São Paulo apontaram irregularidades na prestação de contas da atual direção da instituição.Segundo os conselheiros Lúcio Machado e Rubens da Cunha Lima, havia "graves indícios de irregularidade" nas contas de uma das exposições montadas na 4.ª Bienal Internacional de Arquitetura, que terminou em janeiro. Bratke mostrou que as contas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Município e também foram submetidas à auditora independente Sotecompi Auditores Associados.A maioria dos conselheiros da Bienal mostrou-se contrariada com a forma como as notícias sobre a fundação chegam à imprensa. Alguns alegaram que é ruim para a imagem da instituição e também para fechar patrocínios. A reunião do conselho, realizada ontem, contou com a participação de 36 conselheiros.

Agencia Estado,

11 de julho de 2000 | 15h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.