Freud, fonte para as obras que falam da condição da mulher

Lorenzo Belletini, da Universidade de Cambridge, estudou mais de 30 mil páginas do arquivo de Schnitzler que escaparam das mãos dos nazistas e foram levadas para a Inglaterra em 1938. Descobriu, entre cartas endereçadas a amigos (Mahler, Ibsen, Thomas Mann), que o grande interesse do escritor era mesmo a psicanálise. A presença de Freud na literatura de Schnitzler pode ser atestada em obras protagonizadas por mulheres, como A Senhora Beate e Seu Filho e Senhorita Else, ambas escritas sob a influência da psicanálise, em especial A Interpretação dos Sonhos (1900). Seu primeiro texto produzido por inspiração direta dos escritos de Freud foi A Senhora Berta Garlan (1901), sobre uma jovem viúva em busca de um antigo amor. Mas o exemplo mais vigoroso do freudianismo em Schnitzler está em Senhorita Else. Nele, montanha, por exemplo, pode corresponder a uma incontrolável ereção.

, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.