Frankfurt terá shows e mostras de artistas brasileiros

O foco é o mercado editorial, mas a Feira do Livro de Frankfurt, que acontece em outubro e, nesse ano, tem o Brasil como país convidado, expande seus tentáculos para outras artes, mostrando como todas estão conectadas. Foi justamente tal programação paralela que foi divulgada nesta terça-feira, na cidade alemã, pelo presidente da Biblioteca Nacional, Renato Lessa, e pelo presidente da Funarte, Antonio Grassi - música, teatro, dança, fotografia e exposições estão no cardápio dos eventos.

UBIRATAN BRASIL, Agência Estado

26 de junho de 2013 | 11h54

A feira começa no dia 8 de outubro, quando a ministra da Cultura, Marta Suplicy, acompanhada dos escritores Ana Maria Machado (presidente da ABL) e Luiz Ruffato, participam da abertura oficial. Mas a presença brasileira começará antes, no dia 23 de agosto, quando o rapper Criolo faz um show em Frankfurt.

Será o primeiro de uma série de eventos que vão apresentar um retrato fiel da atual produção brasileira. Além de Criolo, a música será representada por Lucas Sant?Anna, Jards Macalé, Jorge Mautner, Junio Barreto, Virgínia Rodrigues, Fabiana Cozza, Zélia Duncan Barbatuques, Lenine, Guinga e Quinteto Villa-Lobos e DJ Dolores.

Já o teatro promete marcar forte presença com produções especialmente criadas para o momento da feira. O diretor Felipe Hirsch, por exemplo, autor de montagens clássicas como "Temporada de Gripe" e "Pterodátilos", comanda o projeto Puzzle, que pretende unir artes cênicas com literatura a partir de textos de jovens escritores brasileiros adaptados para o palco - todos apresentados como peças de um quebra-cabeça. O projeto é co-realizado pela Funarte e o Sesc de São Paulo.

Já a encenadora Christiane Jatahy, que vem se aprimorando em misturar artes diversas com o teatro, é responsável pelo projeto Utopia. DOC, conjunto de performances que serão realizadas em casas dos moradores da cidade de Frankfurt. Será uma troca: eles oferecem sua residência, suas histórias e seus objetos pessoais e, em troca, receberão uma performance especialmente criada para eles, além de um objeto usado na cena, como um texto ou um vídeo.

Entre as exposições, estão previstas A Experiência Brasileira: Dos Anos 60 até os Dias de Hoje, Hélio Oiticica: Museu É o Mundo, Emerging Architects in Brazil, Street-Art Brazil - Grafitti, Exílio Judaico no Brasil, além de individuais de Alexandre Wollner e Regina Silveira. Já na dança, os destaques serão apresentações da bailarina Vera Sala e do espetáculo "Crackz!", de Bruno Beltrão e Grupo de Dança de Rua de Niterói.

Em Frankfurt, a literatura brasileira será representada por 70 autores, que participarão de eventos sobretudo no Pavilhão do Brasil, espaço de 2.500 m² criado por Daniela Thomas e Felipe Tassara e que pretende oferecer uma exposição cultural do País. Prevista para acontecer entre os dias 9 e 13 de outubro, a Feira de Frankfurt vai contar com um orçamento total de R$ 18,9 milhões, divididos entre investimentos do governo e captação via Lei Rouanet. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
literaturaFeira do Livro de Frankfurt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.