França vai ter uma Harvard da culinária

Como quer preservar sua reputação de árbitro do bom gosto, a França vai criar uma universidade especializada nas artes culinárias, segundo as declarações de Renaud Dutreil, ministro de Comércio, Consumo e Pequenos Negócios.?Será uma espécie de Harvard (universidade americana de alto nível de excelência), onde franceses e estrangeiros, cerca de 100 por ano, virão, durante um ano ou dois, para treinar nas artes da mesa ou aprender a história da culinária francesa?, ele anunciou hoje.Segundo o ministro, a idéia é manter a predominância da cozinha francesa num mundo globalizado.?A cozinha internacionalizou-se. Encontram-se especialistas em vinho e restaurateurs em qualquer lugar?, explicou. ?Nesse contexto, a França precisa impor-se mais visivelmente como o país de referência para o paladar. A primeira universidade, única no mundo, permitirá isto.?Sediado em Reims, na região da Champagne, o instituto para altos estudos do paladar e da gastronomia deverá ser aberto no segundo semestre do ano que vem, pelo que Dutreil disse ao jornal Le Parisien.?Isto deverá ser bem recebido pelos restaurateurs franceses, que sempre têm esperança de se aperfeiçoar, pelos americanos do ramo de processamento de alimentos, pelos grandes chefs dinamarqueses ou japoneses?, disse Dutreil.Os professores incluirão historiadores, sociólogos, chefs, biólogos e ?grandes profissionais do setor do paladar?.?A França tem reputação por sua cozinha, mas falta um instrumento para espalhar esse conhecimento pelo mundo?, afirmou o ministro. ?Necessitamos de embaixadores que representem nossa herança culinária.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.