Fotógrafos retratam cotidiano da Apae

Um grupo de notáveis fotógrafos brasileiros se reuniu para realizar um registro literalmente especial: o do universo dos portadores de deficiência mental da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Paulo (Apae-SP). O resultado desta aventura é O Tempo do Olhar, exposição que faz parte do 5.º Mês Internacional da Fotografia e revela em 50 painéis o cotidiano de bebês, crianças, jovens e adultos. A mostra, que pode ser conferida a partir de amanhã no Conjunto Cultural da Caixa, traz imagens em preto-e-branco e cor do dia-a-dia da Apae, entidade que atende atualmente 1.500 pessoas e há 40 anos trabalha pelo bem-estar e pela inclusão social de quem é portador de deficiência. Para realizar um retrato fiel dessa batalha diária, fotógrafos como Juan Esteves, Rochelle Costi, Rômulo Fialdini, Tuca Reinés, Luiz Crispino e vários outros, percorreram diversas áreas de atendimento da entidade, entre elas, saúde, educação, trabalho, vivências e atividades ocupacionais.Traduzir em imagens o universo do portador de deficiência e suas emoções não é tarefa fácil. Seus olhares, sorrisos e abraços tão espontâneos são um desafio às lentes. Ao mesmo tempo os fotógrafos realizaram um importante registro do trabalho da Apae ao revelar a busca do aperfeiçoamento técnico dos movimentos para alcançar a autonomia pessoal. Se, neste ano, o tema do Mês da Fotografia é Raízes e Asas, O Tempo do Olhar não poderia ser mais adequado. Sob as lentes dos fotógrafos, os portadores de deficiência ganham asas que conduzem a momentos de alegria genuína.O Tempo do Olhar - De segunda a sábado, das 10 às 19 horas; domingo, das 12 às 19 horas. Conjunto Cultural da Caixa. Avenida Paulista, 2.083, tel. 3107-0498. Até 24/6. Abertura amanhã, às 19 horas, para convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.