Fotógrafo decifra celebridades e anônimos

O que celebridades como Pelé,Fernanda Montenegro, Jô Soares, Malu Mader e um punhado deanônimos têm em comum? Para o renomado fotógrafo publicitárioMárcio Scavone, uma luz muito particular que inexplicavelmente oatrai. Ou "uma luz nem natural nem artificial, de uma terceirae misteriosa origem", como descreve o escritor Luis FernandoVerissimo no texto que dialoga com as imagens clicadas porScavone, no livro Luz Invisível.Na obra, que será lançada amanhã (com uma exposição), ofotógrafo selecionou 150 fotos desses "iluminados", que retratouao longo dos últimos dez anos. O retrato, diga-se de passagem, éuma linguagem fotográfica pela qual Scavone tem paixão. "É apaisagem humana", resume o fotógrafo. Com o aval inconscientedos retratados (após a conquista de uma cumplicidade velada),ele consegue tecer análises psicológicas e desglamourizar íconescultuados. "Não existe uma unidade formal nos trabalhos, comousar preto-e-branco ou colorido, ou posicionar a pessoa numadeterminada distância", explica. "O fio comum é uma coisa maisprofunda, são minhas referências."Márcio Scavone acredita que Verissimo conseguiu traduzir, com perfeição, sua alma de "retratista". Ao narrar a históriafictícia de um fotógrafo qualquer, o escritor acaba fazendo umaanalogia ao trabalho do próprio Scavone: "Seu trabalho eracoletar gente, ou imagens de gente, e transmiti-las para o seuplaneta, onde haveria uma crise de imagens, ou de gente. Suascâmeras não eram câmeras, eram transmissores intergalácticos."Bem-humorado, Scavone concorda, metaforicamente, que "envia"mesmo fotografias para um outro "planeta". "Parece que só meliberto quando dou um destino apropriado para elas", afirma.Seja para um planeta qualquer ou para um belo livro como esse.Luz Invisível. De Márcio Scavone. Amanhã, às 19h30. Editora DBA.200 páginas, R$ 80,00. BankBoston. Rua Chucri Zaidan, 246, tel (11) 3398-4000. Até 14/12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.