Fotógrafo clica gênios de Cambridge no século 21

Ganhadores do Prêmio Nobel,faxineiros, atletas de primeira linha, cientistas renomados,jardineiros e jovens acadêmicos promissores, todos já foramclicados pela lente de Howard Guest nos últimos 20 meses. O fotógrafo inglês vem percorrendo Cambridge sem alarde,tendo como missão criar um retrato moderno dos herdeiros dolegado da universidade, repassado por gigantes intelectuaiscomo Isaac Newton, Charles Darwin e William Wordsworth. Nesse processo, Guest já bateu papo com um dos maioresfilósofos do mundo, conversou sobre genética no jardim com umduplo prêmio Nobel, captou protestos com lideranças estudantise fotografou o físico mais famoso de Cambridge, StephenHawking. Guest, que herdou de sua mãe sua primeira máquinafotográfica e o amor pela fotografia, abriu mão de uma carreirabem-sucedida no mercado financeiro para perseguir seu sonho defazer retratos. "Vivo em Cambridge, então naturalmente me senti atraídopela universidade, repleta de pessoas fascinantes que estão navanguarda do conhecimento humano", explicou. Ele abordou a universidade e a convenceu a deixá-lofotografar seus membros, como parte de uma campanha paralevantar fundos e elevar o perfil da instituição, antes de seu800o aniversário, em 2009. "Acho que a foto mais difícil que já fiz foi a de StephenHawking, porque costumo bater papos intermináveis com meusfotografados", disse Guest. Autor de "Uma Breve História do Tempo", Hawkings ocupa acadeira acadêmica mais famosa do mundo, a cadeira Lucasiana deMatemática em Cambridge, criada há 330 anos. Ele sofre dedoença neural motora avançada, vive confinado em cadeira derodas e só pode falar através de um computador controlado porseus olhos. Guest conversou sobre física com o descobridor dospulsares, o premiado com o Nobel Antony Hewish, enquanto ofotografava diante de uma rádio-antena parabólica astronômicagigante nos arredores de Cambridge. Ele pretende publicar um livro, "On the Shoulders ofGiants" (www.howardguest.co.uk) e vai expor seus retratos noMuseu Fitzwilliam, em Cambridge, entre junho e setembro de2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.