Fotógrafa Inge Morath morre aos 78 anos

A fotógrafa austríaca Inge Morath morreu ontem em Nova York, aos 78 anos, vítima de um câncer. Inge foi uma das primeiras mulheres aceitas, em meados dos anos 50, na lendária agência fotojornalística Magnum, criada por Henri Cartier-Bresson. Inge entrou na Magnum a convite de Robert Capa, mas antes foi assistente do próprio Cartier-Bresson, na França.Do seu trabalho, destacam-se as reportagens fotográficas realizadas em vários países, como Rússia e China, durante a Guerra Fria. Suas coberturas internacionais foram publicadas nos principais veículos dos Estados Unidos e da Europa, como as revistas Life, Paris-Match e Vogue. Ela também se notabilizou por marcantes retratos de celebridades e artistas. Pablo Picasso, Joan Miró, Marilyn Monroe, Audrey Hepburn, Jean Cocteau, Yves Saint Laurent e muitos outras personalidades do século 20 passaram por suas lentes.Seu último trabalho jornalístico será publicado em breve. Será um livro chamado Nova York, em que Inge retrata os monumentos particulares erguidos por cidadãos da cidade depois dos eventos do dia 11 de setembro de 2001. A fotógrafa morava em Nova York e desde os anos 60 era casada com o escritor Arthur Miller, com quem teve uma filha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.