Fotógrafa do "Estado" leva prêmio no Japão

Em agosto, os leitores do jornal O Estado de São Paulo conheceram a singular história do jovem caddie (carregador de tacos de golfe em clubes) Luciano Antônio Gomes, morador do Jardim Silvina, local extremamente pobre localizado em São Bernardo do Campo. Apesar de viver em condições precárias e sustentar a mãe e dois irmãos, ele contou para a repórter Andréa Portella que sonhava tornar-se um jogador profissional como o norte-americano Tiger Woods, astro maior do esporte nos Estados Unidos.As imagens dessa história de contrastes, quase surreal, foram captadas com sensibilidade pela repórter-fotográfica Kathia Tamanaha. O resultado do trabalho rendeu à fotógrafa do Grupo Estado um dos mais importantes prêmios internacionais do setor: o SSF World Sports Photo Contest 2000, da Sasakawa Sports Foundation, do Japão. O trabalho de Kathia foi escolhido o melhor entre aproximadamente 13 mil fotografias enviadas por profissionais de 50 países.A fotógrafa lembra que a reportagem foi produzida durante quatro dias, para um ensaio especial publicado numa edição de domingo. "Era um espaço criado para que os profissionais realizassem trabalhos sobre qualquer assunto", conta Kathia. Na ocasião, ela lembrou da época em que morava no ABC e conheceu uma favela onde havia jovens jogando golfe num campinho de futebol. "Dois anos depois eu voltei e eles continuavam lá; acabei sugerindo essa pauta".No começo, a idéia era fotografar todos os caddies que viviam no local e trabalhavam no São Bernardo Golf Club. Eles encaram a tarefa como um "bico", uma forma de ganhar um dinheiro extra na hora do aperto. No penúltimo dia, um dos jovens aproximou-se da fotógrafa e confidenciou que, para ele, aquilo era mais que um trabalho, mas uma oportunidade de realizar um sonho. Era Gomes, que acabou se tornando o foco principal da reportagem.Homem da casa - No último dia do ensaio fotográfico, Kathia chegou às 7 horas na favela e foi visitar a casa do rapaz. Na verdade, um barraco de madeira, com panos dividindo os cômodos e placas de madeirite cobrindo a terra do chão. "Ele sustentava a mãe, que tem dificuldades de locomoção, e os dois irmãos", revela a fotógrafa. "Ele contou que, no começo, se interessou apenas pelos cerca de R$ 300,00 que o trabalho rendia por mês, mas ficou fascinado pelo esporte depois de acompanhar um campeonato". Nesse dia, Kathia gastou dois filmes em preto-e-branco com Gomes.A fotógrafa registrou uma partida entre Luciano Gomes e o vizinho, Carlos Silvano Farias, no campo de areia, localizado entre a favela e a Via Anchieta. Até poucos meses antes, eles praticavam o esporte no clube, mas foram proibidos de jogar depois que alguns caddies fizeram baderna no local. À medida que foram ganhando confiança de Luciano Gomes, a repórter e a fotógrafa descobriram que ele tinha em casa 13 tacos de golfe usados, duas calças de tergal e três camisas pólo, comprados com muito sacrifício. Tudo para ficar parecido com os jogadores que via nas revistas especializadas, que ganhava dos sócios do clube do ABC.Última hora - Kathia diz que não sabia da existência - e da importância - do prêmio da Sasakawa Sports Foundation até ler o anúncio afixado no mural da Editoria de Fotografia do Grupo Estado. "Mandei as seis fotografias na última semana de inscrições; minha intenção era ganhar uma câmera digital", recorda a fotógrafa, que, pela vitória na categoria principal (Gold Prize), vai receber cerca de US$ 50 mil.Depois que receber o prêmio, Kathia pretende reencontrar Gomes. Ela diz que vai comprar um título do São Bernardo Golf Club para presentear o rapaz, que poderá trocar a areia do campinho pelos campos verdes do clube. "Quero ajudá-lo a realizar seu sonho".Vencedores - Os vencedores das demais categorias foram os australianos Trent Parke (por Swimming), e Vince Cakuguyru (Dawn to Dusk), o inglês Neville Gabie (Posts) e os japoneses Masako Imaoka (Turkey Oil Wrestling) e Kosaku Ihara (True and Beauty). A cerimônia de entrega dos prêmios será realizada em outubro, em Tóquio. As fotos serão expostas na sede da fundação e apresentadas em publicações da entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.