Foto de vítima de genocídio ganha prêmio no Reino Unido

Israelense Jonathan Torgovnik recebe prêmio de US$ 25 mil por imagem de mulher com suas filhas em Ruanda

Efe,

07 de novembro de 2007 | 15h32

Uma foto de uma mulher violentada no genocídio de Ruanda (1994), do israelense Jonathan Torgovnik, ganhou o Prêmio de Retrato Fotográfico da National Portrait Gallery de Londres. "Joseline Ingabire com sua filha Leah Batamuliza, Ruanda" recebeu o prêmio de 12 mil libras (US$ 25 mil). A imagem mostra Joseline, uma mulher da etnia tutsi, vítima sistemática da violência dos milicianos, posando com um olhar triste e abraçada a Leah. A sua segunda filha, Hossiana, aparece no fundo, à porta de uma modesta casa com paredes de barro. "Aparentemente, este é um retrato de uma bela mulher e seus filhos. Sua beleza está aí, mas por trás dela há algo silencioso e terrível", disse Torgovnik. A obra faz parte de uma série dedicada às mulheres violentadas no genocídio em Ruanda, entre abril e junho de 1994, que causou 800 mil mortos. Em segundo lugar ficou a argentina Julieta Sans, pelo sensual retrato "Lucila a.m". Uma amiga da fotógrafa aparece de roupão, deixando ver discretamente a coxa, no apartamento de seu pai, em Buenos Aires. Os outros dois finalistas foram a sul-africana Michelle Sank, com "Janine", e o inglês David Stewart, com "Alice & Fish". Veja, abaixo, a imagem vencedora: Jonathan TorgovnikJoseline Ingabire com sua filha Leah Batamuliza, Ruanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.