Fórum Cultural Mundial já tem 2 mil inscritos

Mais de 2 mil pessoas já se inscreveram para participar do Fórum Cultural Mundial, evento que vai reunir em São Paulo, a partir de sábado e até o dia 4, cerca de 130 intelectuais, artistas e especialistas (além de 20 ministros da Cultura do mundo todo). No domingo, a partir das 16 horas, no Parque do Ibirapuera, o cantor franco-espanhol Manu Chao abre a programação artística, num encontro inédito com Gilberto Gil. O fórum será aberto oficialmente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 29, no Teatro Municipal, com a prefeita Marta Suplicy e o governador Geraldo Alckmin, os três parceiros na realização do evento. Na ocasião, o coreógrafo Ivaldo Bertazzo apresentará o espetáculo Samwaad - A Rua do Encontro. É uma espécie de fórum anti-Barcelona, embora os organizadores tentem evitar comparações. Mas há de fato diversas diferenças. A começar pelo orçamento. O fórum de São Paulo está orçado apenas em R$ 4 milhões. O de Barcelona é bilionário e exigiu até edificações novas na cidade. "Não pretendemos ter um documento, uma carta final. O fórum não é uma representação político-institucional. É mais uma provocação, do ponto de vista da discussão, do debate", diz Danilo Miranda dos Santos, diretor do Sesc e presidente do Conselho Diretor do Fórum Cultural. O secretário municipal da Cultura, Celso Frateschi, definiu o "inimigo" do fórum, as culturas hegemônicas, como aquelas que são "amplamente divulgadas pela mídia". Paulo Miguez, secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, criticou o pensamento "que equipara um filme, um disco ou um livro a um sabonete" e trata a cultura "como uma commodity". Para participar do fórum, é preciso inscrever-se pelo www.forumculturalmundial.org. A inscrição custa R$ 50, com meia-entrada para idosos e estudantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.