Forsyth adere à moda de livros virtuais

Depois de ter vendido 60 milhões de livros impressos em papel em 30 idiomas, Frederick Forsyth, de 61 anos, converte-se no primeiro escritor britânico de best sellers a publicar sua obra na Internet. Desde quarta-feira, a primeira de uma série de cinco histórias breves começou a ser vendida, por US$ 2,99 cada download, em sites de varejo como o Barnesandnoble.com e o Bol.com. As histórias da série Quintet serão publicadas a cada 21 dias, até fevereiro. Ele está escrevendo a quarta da série, agora. O comércio eletrônico, observou o escritor, "pode não ser tudo aquilo que se esperava. Se alguém quiser pedir um livro pela Internet, ainda terá que recebê-lo em um pacote. Há limitações". Contudo, ele arescentou que, apesar de não dominar grande parte da tecnologia Internet, reconhece algumas vantagens na Web. "As palvras são algo que ela maneja bem. E as palavras são o meu ganha-pão". Naturalmente, as publicações eletrônicas não são um empreendimento novo. Stephen King foi o líder, entre os autores de best sellers americanos, este ano, com a novela Ridig the Bullet e com sua novela atual, de 10 capítulos, The Plant. Para Forsyth, no entanto, a fórmula Internet não funciona no caso de uma novela com 10 capítulos como The Plant. "Muita gente da nossa época não quer esperar 10 meses para terminar de ler um único livro." Mas o ingresso de Forsyth no ramo é pioneiro na Grã-Bretanha, segundo Catherine Jones, diretora de marketing da Online Originals, que está publicando a série de histórias de Forsyth. Ele e Fay Weldon incluem-se entre os raros autores britânicos que adotaram a publicação eletrônica até agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.