Forno a gas ganha espaço nas pizzarias

Pizzas assadas em forno à lenha podem estar com os dias contados. Pelo menos é o que almeja a Di Volpi Indústria Metalúrgica, fabricante de um forno a gás que assa pizza em dois minutos. Apostando na eficiência do equipamento e em sua atratividade com relação ao custo de ocupação e de mão-de-obra, a empresa acredita que sua produção pode passar de 60 para 100 unidades por mês até o final do ano. A Di Volpi, fundada na década de 40 por Julio Di Volpi (irmão caçula do pintor Alfredo Volpi), durante décadas produziu o forno artesanalmente, somente para uso familiar. Apenas em 1998 decidiu fabricá-lo em escala, investindo R$ 800 mil. Ao mesmo tempo, abriu a pizzaria Di Volpi no bairro da Aclimação, em São Paulo, onde começou a funcionar um show-room para demonstração da peça. A patente, contudo, demorou três anos para ser liberada e só em 2001 a empresa passou a vender os equipamentos. Hoje, entre os clientes estão pizzarias como 1900, Camelo e Jardim de Napoli. Já foram vendidas 700 unidades. O FornoForte, como foi batizado, está preenchendo uma importante lacuna que pizzarias não conseguiam ocupar: o de festas ou reuniões sociais. O forno pode ser transportado para qualquer lugar e, de acordo com Eduardo Volpi, um dos proprietários da empresa, reproduz com a mesma qualidade e sabor as pizzas assadas no forno a lenha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.