Ford, Loach e a imortal Florípedes

Como Cães e Gatos

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2012 | 03h11

16H10 NA GLOBO

(Cats & Dogs). EUA, 2001. Direção de Lawrence Guterman.

Cientista tenta desenvolver vacina para eliminar a alergia de humanos a cães. Os gatos se rebelam, como parte de um plano para dominar o mundo. Mistura de live action com animação - animatronics - e que teve uma sequência, centrada na gata vilã Kitty Galore. Reprise, colorido, 107 min.

Ventos da Liberdade

22 H NA CULTURA

(The Wind That Shakes the Barley). Alemanha/Espanha/França/Irlanda/Inglaterra, 2006. Direção de Ken Loach, com Cillian Murphy, Padraic Delaney, Liam Cunningham, Gerard Kearney, William Ruane, Orla Fitzgerald.

A emissora reprisa no horário da Mostra, e agora dublado, o longa do inglês Loach sobre irmãos que se integram à resistência irlandesa. A possibilidade de um acordo com as tropas de ocupação britânicas os coloca em campos opostos. As melhores qualidades - estéticas e políticas - do cinema de Loach em seu longa vencedor da Palma de Ouro, outorgada por um júri presidido por Wong Kar-wai. Reprise, colorido, 127 min.

Faixa de Areia

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2006. Direção de Daniela

Kallmann e Flávia Lins e Silva.

Luana Piovani, Ruy Castro, Dicró, Tessy Callado e Maria Isabel Salgado são algumas personalidades que dão depoimentos neste documentário que investiga as praias, no Rio, como espaços democráticos. Ali se definem tendências, se rompem códigos, desafiam preconceitos. Interessante. Reprise, colorido, 92 min.

Python 2: A Cobra Assassina

22H45 NO SBT

(Pythons 2). EUA, 2001. Direção de Lee McConnell, com William Zabka, Dana Ashbrook, Alex Jolig, Simmone Jade Mackinnon.

No segundo filme da série, rebeldes chechenos derrubam avião norte-americano que transporta arma ultrassecreta, que está sendo levada para base militar. Enquanto os governos discutem o que fazer, uma cientista decide abrir a misteriosa carga! A serpente biologicamente modificada do primeiro filme agora se multiplicou - Pythons. O diretor McConnell segue a trilha de James Cameron que, em Aliens 2 também multiplicou a ameaça do alienígena. O problema é que McConnell não é Cameron. Reprise, colorido, 99 min.

Um Agente Muito Secreto

23 H NA REDE BRASIL

(The Secret Agent Club). EUA, 1996. Direção de John Murlowski, com Danny McCue, Lesley-Anne Down, Hulk Hogan.

Apesar da cara de paspalho, Hulk Hogan é um agente secreto destacado para as missões mais perigosas. Quando ele desaparece, seu filho, que descobre a identidade secreta do pai, pede ajuda aos amigos para tentar resgatá-lo. Pequenos espiões? Sem grandes efeitos (nem o diretor Robert Rodriguez). Reprise, colorido, 90 min.

Roman Karmen - Um Cineasta a Serviço da Revolução

0H30 NA CULTURA

(Roman Karmen, Un Cinéaste Au

Service de La Révolution). França, 2002. Direção de Patrick Barberis

e Dominique Chapuis.

Roman Karmen é um daqueles personagens misteriosos da sétima arte. Cinegrafista, filmou os encontros de Stalin e Mao, de Nehru e Allende, de Fidel e do Che, de Hi Chi Minh e do general Giap. Os críticos são capazes de testemunhar que, por trás da beleza das imagens oficiais, havia um observador arguto capaz de definir uma postura crítica por meio de detalhes, como enquadramento e posicionamento no plano. O filme põe ênfase no fracasso pessoal - veja para saber do que se trata -, empanando o brilho superficial. Reprise, colorido, 90 min.

TV Paga

Depois do Vendaval

15H30 NO TELECINE CULT

(The Quiet Man). EUA, 1952. Direção de John Ford, com John Wayne, Maureen O'Hara, Victor McLaglen, Ward Bond, Mildred Natwick, Barry Fitzgerald.

O quarto e último Oscar de direção de Ford, após os que ele conquistou por O Delator (1935), Como Era Verde o Meu Vale (1940) e Vinhas da Ira (1941). John Wayne volta à cidade da Irlanda em que nasceu. Ele guarda um segredo. Apaixona-se por Maureen O'Hara, com quem se casa, mas uma disputa pelo dote da moça dá origem a uma cena de briga antológica. Além do prêmio de direção, o filme ganhou o Oscar de fotografia (para Winton C. Hoch e Archie Stout). Quando críticos falam em obra-prima absoluta deveriam se referir a filmes como este. Reprise, colorido, 129 min.

Dona Flor e Seus

Dois Maridos

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 1977. Direção de Bruno

Barreto, com Sônia Braga, José

Wilker, Mauro Mendonça, Mara Rúbia, Dinorah Brilhante, Nelson Xavier.

O filme que Bruno Barreto adaptou do romance de Jorge Amado foi, até o fenômeno Tropa de Elite 2, a maior bilheteria do cinema brasileiro, com mais de 10 milhões de espectadores. Florípedes fica viúva do marido farrista, casa-se de novo, mas a felicidade só vem quando o fantasma de Vadinho ressurge e ela fica com os dois maridos do título. O grande papel de Sônia Braga, a trilha de Chico Buarque e Francis Hime, incluindo

O Que Será?, na voz de Simone. Reprise, colorido, 118 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.