Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

'Foi a Virada da diversidade', diz o prefeito Bruno Covas

A Prefeitura de São Paulo estima um público de 4,6 milhões de pessoas na Virada Cultural 2019 até as 16 horas

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

19 de maio de 2019 | 17h49

A Virada Cultural teve público de mais de 4,6 milhões de pessoas, segundo balanço preliminar da Prefeitura de São Paulo. Segundo o prefeito Bruno Covas, a expectativa é de que, com as últimas atrações deste domingo, o número ultrapasse a previsão inicial de 5 milhões de pessoas e essa seja a maior edição do evento.

"Estamos muito felizes com a aceitação do público e acredito que alcançamos maior público porque essa foi a Virada da diversidade, todo mundo se sentiu representado porque trouxemos diversos estilos de música e arte", disse Covas. No ano passado, o evento reuniu 3 milhões de pessoas. 

A contagem de público foi feita até as 16h. Até o fim do evento, ainda estão previstas outras 12 atrações.

De acordo com Covas, os artistas que mais atraíram público foram Anitta, Criolo (200 mil pessoas em cada show) e Caetano Veloso com os filhos (160 mil). 

O prefeito disse ainda nao ter um balanço da Polícia Militar sobre roubos e furtos, mas diz que não houve ocorrência de nenhum grande caso de violência.  Segundo ele, 12 pessoas foram hospitalizadas. "Considerando a quantidade de pessoas que acompanharam a virada, esse é um número bastante pequeno", disse.

Ele disse ter considerado a edição bem sucedida porque levou grandes shows à periferia da cidade, mas ainda assim reunindo um grande público no centro. "Tivemos a apresentação de grandes artistas em regiões mais afastadas, como da Elba Ramalho e Maria Rita. A cidade toda foi contemplada", afirmou.

Para ele, na próxima Virada, a Prefeitura deve fazer  uma campanha de conscientização em relação ao lixo. Apenas no centro, já foram retiradas 10 toneladas de lixo e, segundo ele, ainda assim há pontos de acúmulo de descarte. "Sempre há o que melhorar", disse.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.