"Flô" oferece toques orientais à cozinha

O novo Flô é simpático, aconchegante, muito gostoso e propõe uma cozinha que está no bom caminho, mas ainda precisa acertar detalhes. Ele fica numa casa na tranqüila Rua Caçapava, que só tem um quarteirão, entre a Alameda Casa Branca e a Avenida 9 de Julho. Fachada simpática, com um terraço com quatro mesas. Ao lado, um corredor com muitas flores, trilhos de madeira no chão e mais duas mesas no fundo. Um local privilegiado para tomar uma cerveja ou um vinho branco nos dias mais quentes. E fumar, se quiser, uma mistura de maçã com mel num narguilé - instrumento turco que filtra a fumaça na água. As divisórias internas da antiga residência vieram abaixo para formar um salão retangular, com umas 12 mesas e um barzinho ao fundo. Nas paredes de cores quentes (amarelo, azul), fotos muito bonitas e um grande ideograma oriental ao fundo. É evidente o toque feminino na decoração.Vivian Steinberg, uma das proprietárias, além de gostar de cozinha, tem muitas afinidades com as culturas orientais, é professora de expressão corporal, utilizando a técnica japonesa DoHo. A sua sócia, Cristina Saiani, vem de outra área profissional.Para comandar a cozinha, foi contratado o cozinheiro paquistanês Moahmmad Riaz, que também tem experiência na cozinha internacional - trabalhou muito tempo na Suíça. Em São Paulo, passou pelo Govinda e pelo Santa Gula.Os toques orientais aparecem com freqüência nas combinações, nos paladares agridoces que marcam muitos pratos. O cardápio é bastante conciso. Ele propõe seis entradas ou porções para acompanhar as bebidas (com preços entre R$ 5 e R$ 15,20); duas saladas (R$ 12,80 e R$ 15,50); duas massas (R$ 15,80 e R$ 18); quatro carnes (entre R$ 21 e R$ 25,80); duas aves (R$ 19,80 e R$ 21); três peixes e frutos do mar (entre R$ 18 e R$ 19,80) e cinco sobremesas (entre R$ 4,50 e R$ 6,80).O almoço aprovou, sem entusiasmar. Excelentes os pastéis de queijo com tomate seco (bem sequinhos, com uma bela combinação da acidez do tomate com o paladar suave do queijo); não tão bons os bolinhos de bacalhau (bem feitos, sequinhos, mas com pouco gosto de bacalhau). Eles acompanharam cervejas bem geladas, gostosas. Gostoso e reconfortante o caldo de feijão.Entre os pratos principais, bons os camarões com molho de manjericão e um arroz com sotaque indiano, avermelhado, com toques de canela, cravo, açafrão e uva passa. Camarões não muito grandes, mas saborosos. Filé de cordeiro bom, mas o molho de amora ficou doce demais. Correto, ainda, o filé com um molho de tomate seco, alho e gengibre com batatas fritas e palmito na manteiga. Gostoso o salmão grelhado com molho de maracujá e purê de mandioquinha. Correto também o petit gâteau, um bolo de chocolate com o interior cremoso. Mais fraco o cheese cake servido com calda de amora ou de framboesa. Carta de vinhos pequena, mas razoável. Pelo menos alguns fogem dos clichês, mas os vinhos deveriam ser descritos com mais cuidado. Taças nada apropriadas, cônicas. Elas podem até ser bonitas, mas não se prestam ao serviço de vinhos. Café expresso de primeira, cremoso e muito saboroso, achocolatado. Um café brasileiro excelente mesmo.Flô: Rua Caçapava, 42. Tel: 282-6188. De segunda a quarta, das 12h às 15h e das 19h até a 0h. Às quintas, sextas e sábados, até às 2h. Aos sábados, serve almoço até as 16h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.