Flip termina com revelações sobre livro de cabeceira

Já se tornou uma agradável rotina a Flipterminar na tarde de domingo com um encontro entre um gruposeleto de escritores, que revelam o título de seu livro decabeceira. Enquanto alguns revelam paixões duradouras, outrospreferem apontar o preferido de ocasião.Interrogação na carreira do escritor O americano Jonathan Safran Foer foi o primeiro eescolheu a "Bíblia", mais especificamente o Livro do Gênese."Gosto do trecho em que Deus cria a luz apenas utilizando aspalavras, com o poder criador do verbo", justificou.Já a escocesa Ali Smith sacou o livro "Short, Short", que reúneos contos mais curtos do mundo, para ler "Depois do Teatro", deChekhov. O português Mário de Carvalho fezuma intensa explanação sobre o Padre Vieira, de quem escolheu O"Sermão de Santo Antônio aos Peixes". "São várias razões, masespecialmente pela interrogação que se põe na carreira doescritor", disse. O americano Edmund White não surpreendeu ao citar "EmBusca do Tempo Perdido", de Proust, do qual escreveu a biografia Representando os brasileiros, Adélia Prado citou "ATransparência do Mal", de Jean Baudrillard ("Padecemos de horrorà realidade: só a virtual nos interessa"). O encontro terminoucom o inglês Benjamin Zephaniah, que escolheu "Filosofia eOpinião", de Marcus Garvey, e com o mexicano David Toscana e "AMetamorfose", de Kafka.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.