Divulgação
Divulgação

Flip reunirá caras novas após a Copa

Paraty recebe 41 autores que nunca estiveram na mostra

Roberta Pennafort , O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2014 | 18h56

A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), entre 30 de julho e 3 de agosto, reunirá 41 autores de diversas nacionalidades e que nunca participaram de seus debates – a exceção é Millôr Fernandes (1923-2012), o homenageado desta 12.ª edição.

Em ano de Copa do Mundo (o evento foi adiado por conta do Mundial), o futebol não está na pauta, que privilegia temáticas caras a Millôr, como a crítica ao poder e as grandes discussões do momento.

A mesa que juntará a jornalista norte-americana de origem turca Elif Batuman, que acompanhou a onda de protestos populares em Istambul, no ano passado, e escreveu sobre o que viu para a revista New Yorker, e o russo Vladimir Sorókin, opositor do governo Vladimir Putin, dará o tom político.

Os 50 anos do golpe militar no Brasil será tratado pelo cientista político e jornalista Bernardo Kucinski, o escritor Marcelo Rubens Paiva e o escritor Pérsio Arida. Os septuagenários Cacá Diegues e Edu Lobo vão falar sobre cultura e sociedade brasileira dos anos 1960 para cá.

Entre os principais nomes da literatura contemporânea mundial estarão na Flip a inglesa de origem indiana Jhumpa Lahiri, ganhadora do prêmio Pulitzer de 2000, a neozelandesa Eleanor Catton, mais jovem vencedora do Man Booker Prize (em 2013), o suíço Joël Dicker, ambos autores de livros caudalosos (The Luminariest, de Eleanor, tem 832 páginas, e A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert, de Dicker, 664).

A América Latina será representada por narradores de distintas gerações: o chileno Jorge Edwards, poeta, ficcionista e diplomata, que foi amigo do também chileno Pablo Neruda, o prestigiado peruano Daniel Alarcón, traduzido em dez idiomas aos 37 anos, Graciela Mochkofsky, expoente do jornalismo argentino, e o mexicano Juan Villoro, tido como o maior nome da literatura de seu país na atualidade, vão debater temas que permeiam suas obras com, respectivamente, o português Almeida Faria, a atriz e agora romancista Fernanda Torres, o norte-americano David Carr e o israelense Etgar Keret.

::: Cultura Estadão nas redes sociais :::
:: Facebook ::
:: Twitter ::

A Flip deve levar 25 mil pessoas à cidade colonial do Sul Fluminense. A programação, que poderá ser acompanhada pela internet, foi anunciada ontem por Mauro Munhoz, diretor-geral da mostra, e Paulo Werneck, curador desta edição.

A variedade de origens dos participantes não foi proposital, segundo Werneck. "Foi algo revelado enquanto eu ia prospectando. O Sorókin, por exemplo, é o primeiro russo a vir à Flip. A relação do Brasil com a literatura russa é forte, mas não com a contemporânea", disse.

Ele lembrou também da relação da programação com temas do cotidiano, como alimentação – a mesa do jornalista e ativista norte-americano Michael Pollan, crítico do agronegócio e da junk food, na hora do almoço, deve fazer sucesso, assim como a do jornalista norte-americano Glenn Greenwald, que revelou a espionagem da Agência Nacional de Segurança a governos e empresas do mundo todo. Greenwald falará junto com o documentarista Charles Ferguson, vencedor do Oscar pelo filme Trabalho Interno, sobre a crise financeira global de 2008.

O show de abertura, desta vez, será totalmente aberto ao público da Flip e de Paraty. Gal Costa vai cantar o repertório do elogiado Recanto, CD de 2011.

Além de Millôr Fernandes, que será reverenciado em duas mesas diferentes por Hubert, Reinaldo (do Casseta e Planeta), Jaguar, Cássio Loredano Sérgio Augusto, o documentarista Eduardo Coutinho também ganhará tributo. Assassinado pelo próprio filho, em fevereiro, Coutinho teve participação memorável na edição da Flip de 2013: sua conferência foi aplaudida de pé. O amigo João Moreira Salles e Charles Ferguson falarão sobre sua personalidade e seu legado.

O ingresso para a Tenda dos Autores custa R$ 46 e para a do telão, R$ 12. As vendas começam no dia 2, às 10 h. Podem ser feitas pelo telefone 4003-5588, pela internet (www.ticketsforfun.com.br) e nas bilheterias do Citibank Hall do Rio e de São Paulo.

Lançamentos e reedições na festa para Millôr

Millôr Fernandes (1923-2012; foto) participou da primeira edição da Festa Literária Internacional de Paraty. Hoje, passada mais de uma década – e dois anos após sua morte –, seu nome volta a ser destaque no evento. Millôr será o autor homenageado desta edição, entre os dias 30 de julho e 3 de agosto, e abarcar seus múltiplos talentos não será um desafio pequeno. Ele foi humorista, artista gráfico, caricaturista, cartunista, escritor, dramaturgo, jornalista e, também, colaborador do ‘Estado’ entre 1996 e 2000.

Como acontece todos os anos, a homenagem vai motivar uma série de lançamentos e reedições. O Instituto Moreira Salles, dono de 7 mil itens que pertenciam ao acervo do autor, prepara o livro Millôr: 100 Frases + 100 Desenhos. Já a Nova Fronteira deve lançar Guia Millôr Fernandes da História do Brasil, com organização de Ivan Fernandes e Leila Name. A L&PM prevê Shakespeare Traduzido por Millôr Fernandes, com as peças Hamlet, Rei Lear, A Megera Domada e As Alegres Matronas de Windsor, e a reedição de Millôr Definitivo – A Bíblia do Caos Grande. A Companhia das Letras também prepara reedições com novas apresentações de A Vaca Foi pro Brejo, Tempo e Contratempo, A Verdadeira História do Paraíso e Essa Cara Não me é Estranha. Entre os homenageados das edições passadas estão Graciliano Ramos e Guimarães Rosa. (MARIA FERNANDA RODRIGUES)

Presidente da Flip, Liz Calder destaca variedade de nacionalidades dos convidados

Em vídeo divulgado nesta quarta-feira, 14, e exibido na entrevista coletiva de terça-feira, a presidente da Flip, a editora inglesa Liz Calder disse que está ansiosa pela Festa deste ano, especialmente por causa da grande variedade de nacionalidades dos autores convidados. "É o modo como sempre quisemos que a Flip crescesse", diz. "No começo, contávamos com convidados estrangeiros do Reino Unido e dos Estados Unidos, mas agora temos escritores da Rússia, Peru, México, do mundo todo." Veja o vídeo:

 

 

Atualizado às 11h27 de 14/05/2014.

Confira abaixo a programação completa:

PROGRAMAÇÃO FLIP 2014


Quarta, 30 de julho
19 h
Conferência de abertura
Agnaldo Farias

Millormaníacos
Hubert e Reinaldo entrevistam Jaguar

21h30
Show de Gal Costa

Quinta, 31 de julho
12 h 
Poesia & Prosa
Eliane Brum, Charles Peixoto e Gregorio Duvivier

15 h
Os Possessos
Elif Batuman e Vladímir Sorókin

17h15
Fabulação e Mistério
Eleanor Catton e Joël Dicker

19h30
Paraty, Veneza do Atlântico Sul
Francesco Dal Co e Paulo Mendes da Rocha

Sexta, 1º de agosto
10 h
O Guru do Méier
Cássio Loredano e Sérgio Augusto

12 h
À mesa com Michael Pollan

15 h
Marcados
Claudia Andujar e Davi Kopenawa

17h15
Livre Como um Táxi
Antonio Prata e Mohsin Hamid

19h30
Encontro com Andrew Solomon

21h30
2 x Brasil
Cacá Diegues e Edu Lobo

Sábado, 2 de agosto
10 h
Liberdade, Liberdade
Charles Ferguson e Glenn Greenwald

12 h
Memórias do Cárcere: 50 anos do Golpe
Bernardo Kucinski, Marcelo Rubens Paiva e Persio Arida

15 h
A Verdadeira História do Paraíso
Etgar Keret e Juan Villoro

17h15
Tristes Trópicos
Beto Ricardo e Eduardo Viveiros de Castro

19h30
Encontro com Jhumpa Lahiri

21h30
Narradores do Poder
David Carr e Graciela Mochkofsky

Domingo, 3 de agosto 
10 h
Ouvir Estrelas
Marcelo Gleiser e Paulo Varella

12 h
Romance em Dois Atos
Daniel Alarcón e Fernanda Torres

14 h
Os Sentidos da Paixão
Almeida Faria e Jorge Edwards

16h
Livro de Cabeceira

Tudo o que sabemos sobre:
Flip

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.