Flip deste ano receberá ganhadores do Nobel e do Pulitzer

VOs caminhos da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) definitivamente já cruzam com os do Prêmio Nobel - depois da presença, no ano passado, de ToniMorisson (vencedora em 1993), a edição de 2007 contará com ossul-africanos Nadine Gordimer (contemplada em 1991) e J.M.Coetzee (2003), tornando ainda mais sofisticada a quinta edição,que ocorre entre 4 e 8 de julho. A presença de Nadine e Coetzee vai permitir umadiscussão em alto nível sobre a situação da África do Sul, aindaque ambos não venham diretamente com essa intenção - Coetzee,por exemplo, fará uma palestra sobre Samuel Beckett. Mas,inevitavelmente, esse deverá ser o tom das perguntas da platéia.Afinal, depois de ganhar fama passando em revista os males doapartheid, eles agora descrevem uma sociedade livre que geroubarbaridades dentro de si mesma. Juntos, apresentam um retratoassustador e cruel da democracia pós-apartheid.Tema forte A atualidade, aliás, continua como um dos tópicos maisfortes da Flip. A guerra será um dos temas debatidos e contarácom a participação de dois especialistas na área: os jornalistasRobert Fisk, do The Independent, que cobre o assunto há maisde 30 anos, e Lawrence Wright, da New Yorker. Fisk vai lançarna Flip, pela Editora Planeta, A Grande Guerra pela Civilização- A Conquista do Oriente Médio. Lawrence é autor de sete livrose o último, O Vulto das Torres - A Al-Qaeda e o Caminho até o11/9 (Companhia das Letras), venceu, na segunda-feira, oPulitzer de melhor não-ficção do ano passado. A obra mostra pelaprimeira vez os bastidores da história que culminou como osataques terroristas de 2001, revelando a origem das concepçõesradicais islâmicas, o nascimento da Al-Qaeda e as desavençasentre os órgãos de inteligência americanos. O assunto também vai rondar a palestra do israelenseAmós Oz, que tem uma importante atuação política no conflitoPalestina-Israel, além de ser um dos grandes incentivadores dacriação de uma Estado palestino. Escritores latinos A situação latino-americana também terá amplo espaço,graças à presença dos argentinos Alan Pauls (autor de ElPasado, a ser publicado pela Cosac Naify e que chegará aocinema pela direção de Hector Babenco), César Aira (um dos maisimportantes nomes da literatura portenha atual, autor de AsNoites de Flores, editado pela Nova Fronteira) e Rodrigo Fresán que escreveu Jardins de Kensington (Conrad), um flerte com acultura pop dos anos 1960. O grupo será encorpado pela presença do mexicanoGuillermo Arriaga, famoso pelos roteiros de filmes como Babel,Amores Brutos, 21 Gramas e Três Enterros, em que valorizoua relação entre tempo e espaço. Aqui, vai lançar seu últimoromance, Um Doce Aroma de Morte, pela editora Gryphus. Umabem-vinda novidade na Festa Literária é a presença dequadrinista como Art Spiegelman, que foi editor da revista NewYorker. É de sua autoria o já clássico Maus, além de ÀSombra das Torres Ausentes, também sobre os atentadosterroristas em Nova York - mais uma voz para o debate políticoaual.Homenagem No ano em que Nelson Rodrigues será o homenageado, aFlip contará ainda com o inglês Will Self; William Boyd,escritor e roteirista escocês natural de Gana; o americanoDennis Lehane, autor policial que escreveu Sobre Meninos eLobos, levado ao cinema por Clint Eastwood; o moçambicano MiaCouto, a egípcia Ahdaf Soueif e Ishmael Beah, nascido em SerraLeoa e autor de Bem Longe de Casa, que será editado pelaEdiouro, livro de memórias em que ele conta como, aos 13 anos,serviu nas milícias armadas de seu país. Silviano Santiago, Augusto Boal e Chacal são alguns dosbrasileiros também confirmados. "Acho que teremos uma das Flipsmais fortes de todos os tempos", comenta Cassiano Elek Machado,que estréia como diretor de Programação do evento. A programaçãooficial deve ser anunciada até 8 de maio, quando também serádivulgado o esquema da venda de ingressos para as mesas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.