Flávio Bala revisita Noel Rosa em seu terceiro CD

Não sei se o músico Flávio Bala conhece a máxima de Lester Young que diz o seguinte: "Mesmo o instrumentista, para improvisar bem uma canção, deve pensar sempre na letra". Não importa. Saxofonista, como o mestre, ele vai por instinto. Neste seu terceiro CD, alternando-se ao alto e ao soprano, Flávio Bala faz uma leitura pessoal de nove clássicos do Poeta da Vila. Tanto nas canções mais conhecidas de Noel Rosa, como em temas menos tocados, entreouvimos no fraseado cantante de Flávio letras antológicas como "Agora vou mudar minha conduta / Eu vou pra luta pois eu quero me aprumar" (Com Que Roupa?); "Mentira não é crime / É bem sublime o que se diz / Mentindo para fazer alguém feliz" (Mentir).

AE, Agência Estado

13 de março de 2013 | 10h14

Segundo Flávio, as melodias de Noel são muito ricas: está tudo ali, não precisa inventar. Mesmo se aventurando em naipes de sax, gravados em overdubs, Bala diz que pretendeu "um som de fim de tarde, para envolver e seduzir o ouvinte, sem jamais o perturbar". Eu diria mais: parece que, com seu sambop suave, apoiado pelo piano suingante do irmão Renato Neto, parceiro deste projeto, Bala toca para seduzir o próprio Noel Rosa.

Flávio Bala - NOEL ROSA AO ENTARDECER - Preço médio: R$ 20

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
músicaFlávio Bala

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.