Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
André Lessa/ AE
André Lessa/ AE

Flautista e compositora Léa Freire ganha tributo em SP

Com quase 40 anos de carreira, artista será homenageada no centro cultural Casa do Núcleo

Lucas Nobile - O Estado de S. Paulo,

24 de maio de 2011 | 11h01

"Quando começam a homenagear assim, a gente tem que começar a se preocupar", brinca Léa Freire, acostumada com a rotina de um país que presta tributos a seus artistas apenas quando eles partem daqui ou estão perto de morrer. Este, definitivamente, não é o caso da flautista, compositora e arranjadora nascida em São Paulo. Aos 54 anos, ela segue em plena forma musical e ganha homenagem na Casa do Núcleo, em São Paulo.

No centro cultural idealizado pelo pianista Benjamin Taubkin, a flautista inaugura o projeto Residência na Casa com a Semana Léa Freire, de quinta até domingo, apresentando-se com diferentes formações marcantes em sua carreira e uma exposição iconográfica, que contará sua trajetória com fotografias, matérias de jornais e revistas, capas de discos, catálogos de seu selo Maritaca e vídeos.

Assunto não falta para a exposição e para as apresentações que Léa fará no centro cultural. Afinal, em 2012 ela completa 40 anos de uma carreira que - embora tenha acompanhado artistas de grande nome, como Alaíde Costa, Arrigo Barnabé e Hermeto Pascoal - construiu-se naturalmente com especial devoção à música instrumental. "Sempre vai ser difícil fazer e viver de música instrumental no Brasil, mas nunca estamos sozinhos. Sempre tem alguém para levar essa tocha adiante. Nas oficinas que tenho feito pelo País inteiro, vejo um interesse enorme dos jovens pela música, principalmente os adolescentes, quando encasquetam com algum instrumento, aí é aquela obsessão típica da idade. É bonito ver isso, largam até o videogame", diz Léa.

Nesse sentido de compartilhar com os outros sua bagagem acumulada, Léa dará duas oficinas de percepção musical, amanhã e quinta-feira, com duas horas de duração, no valor de R$ 10. "Essa parte da percepção é o que eu acho de mais importante para eles. Tem muito aluno começando querendo praticar aqueles exercícios de técnica. Eu acho válido, mas quero ensinar que música não se faz só com os dedos, mas com os ouvidos", conta.

Na semana dos merecidos tributos, Léa se apresentará com três dos grupos mais relevantes de sua trajetória artística. Na quinta e no domingo, ela toca com o Quinteto Vento em Madeira, com quem acaba de lançar um disco homônimo. Na sexta, ela divide o palco com Bocato, com o qual ela lançara dois belos álbuns em 2005 (Antologia da Canção Brasileira Vol. I) e 2006, com um segundo volume. Já no sábado, a flautista se apresenta com o Quinteto, grupo com o qual registrou um disco de mesmo nome, em 1999, em Nova York.

Semana Léa Freire - Casa do Núcleo (Rua Padre Cerda, 25). Telefone (011) 3032-8401.

26 a 29/05

Exposição iconográfica. Quarta a sexta, das 13h30 às 19 h; sábado e domingo, das 15 h às 20 h.

25 e 26/05

Oficina de percepção musical. Quarta e quinta, das 15 h às 17 h. R$ 10 (por dia).

26 e 29/05

Quinteto Vento em Madeira. Teco Cardoso (sax e flauta), Tiago Costa (piano), Fernando Demarco (contrabaixo) e Edu Ribeiro (bateria). 21 h. R$ 20.

27/05

Léa Freire convida Bocato. Bocato (trombone), Michel Freidenson (piano), Djalma Lima (guitarra), Pichu Borrelli (baixo acústico) e Edu Ribeiro (bateria). 21 h. R$ 20.

28/05

Léa Freire convida Quinteto. Teco Cardoso (sax e flauta), Benjamim Taubkin (piano, na foto), AC Dal Farra (bateria) e Pichu Borelli (baixo). 21 h. R$ 20.

Tudo o que sabemos sobre:
músicatributoLéa Freire

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.